A cada dia que passa a insegurança das pessoas aumenta por conta do aparecimento de cobras venenosas na região Sudoeste. Vários casos já foram registrados desde o início de janeiro. Em Coronel Vivida, um menino foi picado por uma Coral. O fato aconteceu na comunidade de Rio Quieto. Mas o problema não está restrito a moradores do interior. Nos centro urbanos também tem sido encontradas cobras venenosas de várias espécies, sendo as mais vistas Coral, Cascavel e Jararaca.

Em Cruzeiro do Iguaçu, no Distrito de Foz do Chopim, várias serpentes apareceram desde o fim de semana por conta de um incêndio na área da Araupel, que fica no outro lado do lago em Quedas do Iguaçu. Ameaçados pelo fogo, os animais estão fazendo a travessia do lago, o que tem aumentado o aparecimento. Muitas cobras tem sido mortas por moradores da comunidade.

  • Compartilhe no Facebook

Jararaca morta em Ampére, após atacar agricultor nesta quarta-feira (30). Foto de divulgação

Outro município com grande incidência é Ampére. Um dos casos que chamou atenção foi na terça-feira (29), a noite, quando uma menina de 8 anos encontrou um cobra em cima de sua cama. Apesar do susto não houve nada de grave, até por que nesse caso se tratava de uma Jararaca dormideira, espécie não venenosa. Porém, os demais registros foram com Corais. Nesta quarta-feira (30) um agricultor foi atacado por uma Jararaca. Apesar do susto, a cobra não chegou a concretizar o ataque e foi morta.

  • Compartilhe no Facebook

Agricultor exibe Cascavel encontrada no interior de Cruzeiro do Iguaçu. Foto: Divulgação WhatsApp

Em Chopinzinho também muitas serpentes foram encontradas por agricultores nas últimas semanas. Alguns fotografaram as serpentes e encaminharam ao departamento de jornalismo da Extra FM para confirmar a veracidade. Em Salto do Lontra, na manhã desta quinta-feira (31), um Coral foi encontrada dentro de uma residência na comunidade de Rio Mombuco. A serpente estava em um quarto e foi vista por um menino de 7 anos. A família imediatamente matou e retirou o animal do local.

Em entrevista ao RBJ, o médico veterinário Felipe Azzolini, responsável pelo Zoológico da Unisep de Dois Vizinhos, explicou que as altas temperaturas e a destruição do habitat natural tem provocado o aparecimento de tantas cobras. “Os desmatamentos desordenados deixam esses animais sem um local para se alojar e também existe a questão dos predadores naturais que são mortos pela ação do homem. Um deles é o Gamba, animal que é morto pelo homem principalmente pelo cheiro que exala. Porém, devemos lembrar que ele é um dos grandes predadores de cobras e escorpiões, pois não é afetado pelo veneno”, disse. Para evitar que as serpentes cheguem próximas de residências, a dica do veterinário é manter os arredores limpos.

Ouça explicação do veterinário Felipe Azzolini – Zoológico Unisep