EM entrevista à Rádio Onda Sul FM, de Francisco Beltrão, na manhã desta quarta-feira (25), o prefeito de Clevelândia e presidente do Ciruspar (Consórcio Regional de Urgência e Emergência do Sudoeste do Paraná), Álvaro Valério declarou que os atendimentos do SAMU podem ser prejudicados na região caso se estenda a mobilização dos caminhoneiros, impedindo o fornecimento de combustível aos postos.

Segundo ele, na sexta-feira (20) foi adquirida uma reserva, mas o estoque já está se esgotando. Em algumas cidades, como Realeza e Dois Vizinhos, as ambulâncias tem a disponibilidade apenas do combustível que está no tanque.

Para evitar problemas, o Ciruspar recorreu as prefeituras pendido a disponibilidade do combustível. Caso não tenham, o serviço pode parar assim que acabar o combustível. Valério participou de uma reunião na Amsop, onde foram discutidos os problemas causados pela paralisação dos caminhoneiros no País, principalmente no sudoeste do Estado.