O Exército realiza, a partir desta terça-feira(19), a Operação Alta Pressão 6, em todo o país. O objetivo é evitar a proliferação do comércio ilegal de armas e munições no país.  No Paraná e Santa Catarina, o Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados da 5ª Região Militar fiscalizará aproximadamente 21 mil pessoas que possuem Certificado de Registro de armas. São Colecionadores, Atiradores e Caçadores (CAC) e mais de 3300 empresas que trabalham com produtos controlados, entre elas armas e munições.

Militares do Exército e de órgãos de Segurança Pública verificarão documentação como notas de compra e venda de armamento ou munições, bem como, estoque de empresas. Cada venda de munição, por exemplo, deve estar devidamente registrada com nome do comprador que possui uma quantia limitada de aquisições de munição por ano.

Atualmente, apenas pessoas maiores de 25 anos podem comprar armas no país, e o porte – direito a poder transitar com a arma – só é permitido a civis em casos excepcionais, com comprovação de necessidade. Quem pretende comprar uma arma, não pode ter nenhum antecedente criminal, nem estar sendo investigado por crimes. Um civil pode ter até seis armas, mas, a cada compra, precisa justificar o motivo. E o registro da arma precisa ser renovado a cada três anos.