A Diocese de Palmas-Francisco Beltrão sediou o 3º Encontro Nacional do Movimento de Lareira, nos dias 5 e 6 de setembro, no centro de eventos Marabá (Francisco Beltrão), assessorado pelo Pe. Flávio Volpatto. Os palestrantes foram Dom José Antonio Peruzzo, Arcebispo de Curitiba, com o tema – “A Família na Bíblia e na Igreja”; Félix Meglioranza – “Motivação: A Família na Bíblia, na Igreja e no Mundo Atual; Pe. Vagner José Raitz, com o tema “A Família no Mundo atual”. Teve a participação de mais de setecentos lareiristas de diversos Estados brasileiros. O Encontro teve um momento cultural, coordenado pela Jornada Jovem de Francisco Beltrão, com diversas apresentações.
Prestigiou o encontro, Frei Álido Rosá que, juntamente com o Frei Hugolino Pedro Backer, criaram o Movimento de Lareira. O primeiro Retiro ocorreu na Paróquia Nossa Senhora Aparecida do Navio, no município e Diocese de Lages-SC, nos dias 31 de agosto, 1 e 2 de setembro de 1973.
Frei Álido falou do início da Lareira: “O Espírito Santo atuou em nossa pobreza e fraqueza. Estou muito feliz por ver que essa semente foi para longe. Quando nós iniciamos a Lareira foram criados grupos de oração (Foguinhos) para fazer uma Igreja viva na comunidade de base, fazendo com que os casais sejam missionários em nome da Paróquia, trabalhando com famílias que esperavam bebê e os casais em segunda união. Cada necessidade das famílias era acompanhada por casais lareiristas, formando um movimento paroquial. Eu espero que estes encontros nacionais da Lareira defendam esta bandeira, em trabalhar com as pequenas comunidades. Isso era o que nós sonhávamos. A Lareira não termina no Foguinho, pois as brasas precisam ir até as famílias necessidades (drogados, casais em segunda união e outras). Lá é que termina a Lareira”.
Presente ao 3º Encontro Nacional da Lareira, Célio Hemkenaier, primeiro reitor de grupos de jovens, em 1972, originado a Jornada Jovem e o Movimento de Lareira. Célio destacou o Encontro da Lareira como a evolução da família: “A família vai se estabelecer melhor e principalmente na vivência cristã e social dentro da Igreja Católica”. Com relação à Jornada Jovem, disse Célio: “O início da JJ teve pontos importantes, pois a motivação gerida pelo movimento da Jornada levava para casa um comportamento melhorado dos filhos. Os pais estranhavam o novo comportamento. Nós tínhamos reuniões aos sábados à noite e os pais queriam saber onde estavam indo os filhos. Assim pedimos que fosse feito encontro parecido com eles, para estes aceitarem melhor os filhos naquela condição de católicos praticantes e até com o título de ‘padrecos’, pois viviam ajudando os padres”.
Presente ao Encontro Nacional da Lareira, o Pe. Donatien Desidé Molasso Mon’nguba, da República Democrática do Congo – África, que atualmente trabalha em Medianeira, Diocese de Foz do Iguaçu: “O encontro é uma oportunidade de fortalecer o vínculo e a harmonia entre os lareiristas. Assim a família também é fortalecida como a base da sociedade”, disse Pe. Donatien.
Romano Possato, Coordenador do 3º Encontro Nacional da Lareira, avaliou positivamente o evento: “Foi um grande e bonito encontro, criativo e evangelizador através dos palestrantes trazendo um aprofundamento religioso”.
O 4º Encontro Nacional da Lareira acontecerá em Caxias do Sul-RS, em 2017.