Um ano e meio após a assinatura da ordem de serviço, o  Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental  (EVTEA) da Ferrovia da Integração ou Ferrovia do Frango, ligando Dionísio Cerqueira ao Litoral de Santa Catarina, está com mais de 70% concluído. A informação é do deputado Dirceu Dresch (PT), presidente da Frente Parlamentar Catarinense das Ferrovias na Assembleia Legislativa catarinense, que esteve na sede da Valec – Engenharia, Construções e Ferrovias S/A – responsável pelo levantamento técnico.

Deverão ser realizadas audiências públicas e seminários para a apresentação dos dados sobre o trajeto da ferrovia. O traçado prévio da ferrovia de 862 quilômetros, prevê a saída de Dionísio Cerqueira, passando por São Miguel do Oeste, Chapecó, Herval D’Oeste, Ponte Alte, Blumenau e Itajaí. Mas também existe um movimento para ela passe pelo Planalto Norte, chegando ao porto de São Francisco do Sul.

A Ferrovia da Integração está sendo estudada e projetada para composições de  até 100 vagões e capacidade total de 12 mil toneladas, com deslocamentos a uma velocidade de 80 km/h sobre trilhos de bitola larga. Nessa primeira etapa, estão sendo investidos R$ 46,5 milhões. Com a obra licitada, o custo estimado será de R$ 6 bilhões. A expectativa é de que até 2022, a obra esteja concluída.

Além da Ferrovia do Frango, Santa Catarina também trabalha sobre a construção da Ferrovia do Milho, a Norte Sul, que também já está em estudo, com um traçado entre Panorama (SP) e Chapecó, indo até o Porto de Rio Grande (RS).