Os professores estaduais de Palmas, sul do Paraná, dentro da programação de reivindicações da classe, paralisaram as suas atividades nesta quarta-feira (19), com o objetivo de chamar a atenção do governo do Estado para as demandas da categoria. Conforme a representante da base sindical da APP-Sindicato, professora Silvana Ribas, em entrevista à Rádio Club na manhã de ontem (18), os professores estarão reunidos na praça Bom Jesus, durante todo o dia, desenvolvendo uma série de atividades para expôr as suas demandas ao Executivo paranaense.                    

Os professores da escola indígena kaigang Gralha Azul, também estão participando da manifestação do magistério estadual e municipal no centro da cidade. Conforme o coordenador da escola, professor Claudecir Viri, que também é vice-cacique, além das reivindicações gerais dos professores, a comunidade está reivindicando melhorias na estrutura física da escola. Conforme ele, até o momento não foram construídas as rampas de acesso, colocando em risco professores e estudantes.      

Além disso, pedem melhoria das condições das estradas para acesso dos professores da cidade que vão para a aldeia, bem como, a construção do ginásio de esportes que foi prometido ainda em 2012 e até o momento não foi construído. Salientou que as reivindicações já foram apresentadas ao Núcleo de Educação, ao Governo do Estado, a prefeitura municipal e alertou que a comunidade já está perdendo a paciência. 

Os professores das escolas municipais de Palmas também cruzaram os braços nesta quarta-feira (19), seguindo a mobilização nacional do magistério. Além de apoiar as reivindicações da pauta nacional, os professores municipais entregaram um documento ao prefeito municipal, pedindo revisão no plano de carreira, hora-atividade e a realização do concurso público em Palmas. Na manhã de ontem (18), em entervista à Rádio Club, o diretor da departamento de Educação, professor Claudio Lombardi, disse que considera o movimento municipal justo  e apoiou a luta por melhores condições de trabalho.

                                    

Em relação as reivindicações dos professores municipais, em breve será possível começar a discussão para definir a política salarial dos professores municipais. Em relação ao concurso público, informou que os editais estão sendo concluídos e o certame será realizado pela Universidade Estadual de Maringá até a metade do ano. Explicou que várias medidas estão sendo adotadas administrativamente para melhor aproveitamento dos recursos financeiros e que permitirá atende às reivindicações dos professores municipais.