Dom José Antonio Peruzzo nasceu em Cascavel – PR, em 19 de abril de 1960. Seus primeiros anos de vida foram no interior do município de Guaraniaçú. O estudo fundamental desenvolveu no Colégio Marista de Cascavel. Entrou no Seminário São José, de Cascavel, no ano de 1974. Em seguida foi para Curitiba, no Seminário diocesano, onde fez seus estudos médios.
Em 1978, iniciou os estudos filosóficos na Pontifícia Universidade Católica do Paraná. O curso teológico começou em 1982, no Studium Theologicum, em Curitiba. Recebeu a Ordenação Sacerdotal em 1985, na Catedral de Cascavel. Partiu, em 1988, para estudos especializados no Pontifício Instituto Bíblico, em Roma, concluindo o Mestrado em Ciências Bíblicas. Em meados de 1992, assumiu a direção do Seminário Maior Nossa Senhora de Guadalupe, em Cascavel, atuando também como professor de Sagrada Escritura, no CINTEC – Centro Interdiocesano de Teologia (Cascavel).
Em 2002, foi morar em Belo Horizonte, e em seguida em Roma, para estudos doutorais. Estes foram concluídos em dezembro de 2004, conferindo o título de Doutor em Teologia Bíblica, pela Pontifícia Universidade São Thomas de Aquino em Roma. Desde fevereiro, do mesmo ano, até 30 de outubro, foi Pároco da Catedral Nossa Senhora Aparecida em Cascavel – PR.
No dia 24 de agosto, de 2005, foi nomeado Bispo da Diocese de Palmas – Francisco Beltrão, por sua santidade o Papa Bento XVI.
Aos 23 de novembro de 2005, Dom José recebeu o 3ª grau do Sacramento da Ordem, o Episcopado, na Catedral Nossa Senhora Aparecida da Arquidiocese de Cascavel. No dia 09 de dezembro (2005) toma posse na Concatedral Nossa Senhora da Glória, em Francisco Beltrão, e em Palmas no dia 11 de dezembro (2005), na Catedral do Senhor Bom Jesus da Coluna dos Campos de Palmas, tendo como lema inspirador de seu múnus episcopal: “ fazei discípulos… Ensinai”.

Entre suas idealizações destacam-se:

-Formação Bíblica permanente nas Paróquias da diocese e outras dioceses do Brasil.
-Intenso trabalho na promoção e difusão da Leitura Orante da Palavra atingindo diferentes meios, tal como, famílias, lideranças, comunidades e professores.
-Participou da equipe de redação das novas Diretrizes para a Formação dos Presbíteros no Brasil.
– Promoveu as Santas Missões Populares na diocese.
– Participou decisivamente na Federalização do Centro Universitário Católico – UNICS em Instituo Federal do Paraná – IFPR, dispondo ensino público e gratuito para a comunidade de Palmas e região.
– Presidente Nacional da Pastoral da Pessoa Idosa.
-Fundou a Escola de Política e Fé e a Escola de Teologia para leigos na Diocese;
-Trouxe as Monjas Carmelitas à Diocese;
-Fundou a Rádio Onda Sul FM, em Francisco Beltrão, um importante meio de evangelização na Diocese;
-Inaugurou Colégio Bom Jesus, em Chopinzinho – Paraná;
– Membro da Comissão de Bioética do Regional Sul II;
– Bispo Referencial da Catequese no Estado do Paraná.
-Membro do Conselho Diretor da Pastoral da Criança.

Momentos que marcaram o episcopado de Dom José
A primeira presença na Diocese, enquanto Pe. Peruzzo, ocorreu em julho de 2005, assessorando a 24ª Semana Teológica, abordando o tema “Constituição Dogmática Dei Verbum”.
Nomeação
No dia 24 de agosto de 2005, às 8h30min, em pronunciamento em rede com 24 emissoras de rádio, Dom Agostinho José Sartori dava a notícia: “Pe. José Antonio Peruzzo é o novo pastor desta Igreja, que quer caminhar fiel aos ensinamentos do Senhor. É um bispo jovem, cheio de energia. É uma grande nomeação. A Diocese está recebendo de Deus uma grande dádiva”. Monsenhor José Antonio Peruzzo, em seu primeiro pronunciamento à imprensa sudoestina, disse: “Chegarei em Palmas-Francisco Beltrão com o sentimento de familiaridade com que sempre me acolheram. Estou contente por isso, embora o desafio seja grande”. A ordenação episcopal de Dom José Antonio ocorreu no dia 23 de novembro, na Catedral de Cascavel. A posse na Diocese se deu no dia 9 de dezembro (Concatedral – Francisco Beltrão) e dia 11 de dezembro (Catedral – Palmas).
Os pais
Dona Lourdes, mãe de Dom José, disse que é uma graça ter um filho bispo: “É uma graça de Deus, que está agindo em nossa família e em nossa comunidade”. O pai, Ângelo, emocionado, ressaltou: “É gratificante. Quando ele era criança jamais eu imaginava que um dia poderia ser um bispo”.

Primeira reunião do clero
Em dezembro,de 2005, Dom José participou da primeira reunião do clero, com a presença de todos os padres diocesanos e religiosos. A reunião teve um caráter reservado, para que os padres pudessem falar de suas experiências e promover a aproximação dos presbíteros com o novo bispo: “Foi uma reunião de família. Ver o que temos de beleza, de promissor, de limites e quais caminhos a percorrer”.
Campanha da Fraternidade – Coletiva de Imprensa
Dom José inovou no lançamento da Campanha da Fraternidade, na Diocese. Em 2006, em sua primeira coletiva de imprensa, assim seguiram os demais anos, teve a participação, além do bispo, de lideranças e autoridades que atuam na comunidade com ações afins ao tema da Campanha da Fraternidade, colaborando para a ampliação da reflexão.
Primeira Assembleia Diocesana
Em artigo enviado à imprensa, Dom José assim relatou sobre um dos primeiros e importantes eventos na Diocese, após sua posse, a “Assembleia Diocesana”: “Tendo chegado já há alguns meses à Diocese, embora ainda não tenha sido possível a mim visitar todas as comunidades, ainda assim atrevo-me a olhar para nosso futuro, tentando esboçar alguma projetividade. Tornar Jesus Cristo atraente e, ao mesmo tempo, fonte de sentido e de esperança para muitos, eis nosso grande desafio”. A assembleia diocesana aconteceu em novembro de 2006, quando foi elaborado o XII Plano Diocesano da Ação Evangelizadora.
Visita ao Papa
Dom José fez sua primeira visita a Roma, após sua ordenação episcopal, de 15 a 30 de setembro de 2006. Participou de Seminário promovido pela Congregação para a Evangelização dos Povos. Teve a participação de 97 bispos recém nomeados de 44 países. Em visita Ad Limina, realizada em outubro de 2010, Dom José esteve com o Papa Bento XVI, no Vaticano. “Foi um encontro que não esquecerei jamais. Parece que a sabedoria se tornou pessoa e é impressionante com que amabilidade ele se referia à juventude em nosso Estado do Paraná. Eu lhe referi sobre o grande número de catequistas. Falei dos programas de educação da fé. Também lhe mencionei sobre a Pastoral Familiar”.
Crisma em casa
Em fevereiro de 2007, um dia especial e significante para a adolescente Daniele Siqueira, 12, que, impossibilitada de se locomover devido a uma cirurgia, não pôde comparecer à Igreja Matriz da Paróquia São Francisco de Sales, em Mariópolis. Sensibilizado com a situação, Dom José, acompanhado do catequista Cirilo Pegnoncelli, foi até a sua casa para ministrar o Sacramento da Crisma. Palavras do catequista: “A atitude do bispo foi de valorização da catequizanda, da catequese e dos fiéis”.
O Bispo e a imprensa
Foi muito bom o relacionamento de Dom José com a imprensa do Sudoeste paranaense. Como valorização, Dom José proporcionou encontros de formação e convivência com os comunicadores, com apoio da Rede Celinauta de Comunicação, em Pato Branco, em outubro de 2006. O bispo falou à imprensa: “Cultivem sua própria interioridade. Tenham paixão pela causa de seus ouvintes. Busquem, na experiência da fé, energias para que sua profissão se torne serviço à Palavra ,que gera vida e promove reconciliação”.
Primeira Visita Pastoral
A cada cinco anos o Bispo Diocesano realiza a Visita Pastoral em cada Paróquia. É uma ocasião, em que a comunidade sente a plenitude do ministério apostólico do Bispo como pastor, primeiro anunciador da Palavra, expressão viva do amor de Deus pelo seu Povo. Dom José realizou sua primeira Visita Pastoral em abril de 2007, na Paróquia Cristo Rei, em Renascença, acompanhado pelo pároco, Pe. João. Aos professores pediu Dom José: “Cuidem de sua espiritualidade, de sua vida pessoal de oração. Deus precisa de vocês para amar estes pequenos”.
Missão na África
Por 35 dias, de janeiro a fevereiro de 2007, Dom José viveu sua missão sacerdotal e missionária na África, na maior parte do tempo em Guiné-Bissau. Justifica Dom José: “Para lá fui, respondendo a um pedido da CNBB, que acolhia a uma situação dos bispos de Guiné-Bissau, pois que aquela igreja necessitava de professores de teologia. Por lá não se fala de depressão. Não conhecem esta doença. Cantam muito, dançam muito e gostam de rezar. Talvez seja por isso que, quando se fala de Deus, seus olhares traduzem sentimentos ternos”.
Ordenações
Dom José foi o bispo ordenante de 46 padres diocesanos e religiosos, 32 diáconos e 2 bispos. O primeiro a ser ordenado foi o Pe. Marcos Tonial (diocesano), no dia 14 de abril de 2007, na Paróquia São João Batista, em São João. Dom José, na homilia, falou ao Pe. Marcos: “Você inteiro é transparência dos carinhos do Senhor”.
Jubileu de Ouro da Diocese
No dia 09 de março de 2008, Dom José Antonio Peruzzo presidiu a celebração do Jubileu de Ouro da Diocese, os 50 anos de evangelização. A missa foi concelebrada pelos arcebispos e bispos das 18 Dioceses do Regional Sul 2 da CNBB-Paraná. Ao final da celebração houve o envio dos milhares de missionários leigos para as Santas Missões Populares. A celebração do Jubileu de Ouro também foi destaque na Catedral do Senhor Bom Jesus, de Palmas, no dia 25 de maio, com a presença de diversos bispos do Paraná e Santa Catarina.
Bênção dos Santos Óleos
Ao longo de seu episcopado na diocese, todos os anos, Dom José presidiu a celebração da bênção dos Óleos do Crisma, dos Catecúmenos e dos Enfermos, ca presença de todos os padres diocesanos e religiosos. Na celebração, também eram renovadas as promessas sacerdotais, com uma palavra de orientação do bispo aos padres: “A renovação das promessas sacerdotais é como se vivessem novamente as alegrias originárias, que inspiraram a decisão de se tornar sacerdotes”.
Ordenação de Dom Geremias e Dom Agenor
A Diocese de Palmas-Francisco Beltrão viveu um momento inédito em seus mais de 50 anos de história, com a ordenação episcopal de Dom Geremias Steinmetz e Dom Agenor Girardi. A celebração ocorreu no dia 25 de março de 2011. Dom José Antonio Peruzzo foi bispo ordenante, juntamente com Dadeus Grings (Arcebispo de Porto Alegre) e Dom Fernando Panico (Bispo de Crato-CE).
Morte de Dom Agostinho
No dia 6 de junho de 2012 falecia Dom Agostinho José Sartori, bispo emérito da Diocese. Em seu artigo “Palavra do Pastor” (Jornal Até Que…), Dom José assim se reportou sobre Dom Agostinho: “Deixá-lo comentar sobre questões de fé, de Igreja e de evangelização era comovente”.
Formação
Dom José deu especial atenção à formação dos leigos, dando continuidade ao trabalho de Dom Agostinho. Dentre outras atividades, incentivo à catequese, aos ministros auxiliares de comunidade, às equipes litúrgicas, à educação política e fé, à teologia e aos estudos bíblicos.
Formação Sacerdotal
Com a chegada de Dom José, os seminaristas, após a conclusão dos estudos teológicos, passaram a participar do Ano Pastoral, que é um período de estágio e convivência em uma comunidade paroquial, para a posterior ordenação diaconal e sacerdotal.
Revista Olhar
Após 30 anos de circulação do Jornal Diocesano Até Que…, Dom José criou a Revista Olhar, com o objetivo de promover uma reflexão a partir de assuntos gerais ligados ao Sudoeste do Paraná. As notícias religiosas da diocese e paróquias também fazem parte da linha editorial da revista.