O núcleo dos arquitetos de Francisco Beltrão (Nudearq), com o apoio da Unipar, UTFPR, Unisep e Pedala Beltrão criaram espaços temporários de convivência, sendo uma expansão das calçadas, destinado especialmente para estacionamento de dois veículos. O projeto de “parklets” faz parte do cronograma de atividades da semana do meio ambiente, que começou hoje, em Francisco Beltrão.

Os parklets são estruturas feitas com paletes de madeira, bobinas de fio, seleção de plantas, organizados numa plataforma de convivência, demonstrando um conceito de sustentabilidade. A instalação dos Parklets tem como lugares preferenciais aqueles com grande fluxo de pessoas, que tenham visibilidade e sejam de fácil acesso. Foi escolhido um ponto no Alto da Júlio (em frente a Onda Brasil), próximo ao calçadão (em frente ao cinema) e  um em frente a Flessak na Baixada da Júlio, que ficarão disponíveis até a próxima segunda-feira, 08.

A arquiteta e urbanista, Aline Krupkoski fez algumas considerações sobre a iniciativa, “é importante reiterar que o projeto não teve custo para a prefeitura e só foi possível devido ao comprometimento dos parceiros. Muitas empresas fizeram doações de materiais como pallets, bobinas de fios, vegetação, chapas e as universidades entraram com os alunos criando o projeto de cada espaço e fazendo a montagem da estrutura”. Para que o resultado dê certo, “pedimos para que as pessoas aproveitem esse espaço, é claro de forma consciente, afinal ele ficará somente durante uma semana a disposição da população”, completou Aline. A ideia das entidades é de humanizar a cidade criando espaços que por serem diferentes, despertem nas pessoas a curiosidade fazendo com que elas visitem o espaço e interajam entre si.