IBAMA e ICMBio – Instituto Chico Mendes de Biodiversidade deverão definir nos próximos dias os encaminhamentos do licenciamento ambiental para a instalação dos Parques Eólicos Serra da Esperança, Água Santa e das Araucárias no município de Palmas, sul do Paraná. O entendimento ocorreu na última semana durante reuniões em Brasília, na sede dos organismos  ambientais.

O empreendimento está no aguardo da licença prévia desde a realização da Audiência Pública em Palmas em janeiro de 2015. De lá para cá houve paralisação do trâmite para que definissem as competências pelo licenciamento ambiental, uma vez que, parte do complexo está projetado para a área da Unidade de Conservação Federal Refúgio da Vida Silvestre dos Campos de Palmas(REVIS).

Os encontros na capital federal  envolveram representantes dos investidores (Gaboardi, Toresani e Incomex); prefeito, Hilário Andraschko; vereadores Marquinhos Gomes e Edson Ferreira Kemes; representante dos proprietários das áreas no interior do Refúgio, Joaquim Ribas; os deputados federais, Osmar Serraglio e Leandre Dal Ponte; senadora Gleise Hoffman com a presidente do IBAMA, Marilene de Oliveira Ramos Múrias dos Santos e o Diretor Geral do ICMbio, Marcelo Marcelino de Oliveira.

Conforme o vereador, Marquinhos Gomes, que representou o Movimento Palmas Desenvolvida, após a exposição das questões pelas lideranças locais e representantes das empresas, bem como o estabelecimento de protocolos, houve o entendimento e encaminhamentos para que a documentação seja enviada ao ICMbio em Florianópolis, com a orientação que a referida unidade se manifeste favoravelmente à transferência da competência do trâmite ao Instituto Ambiental do Paraná(IAP).

Durante o programa Dinâmica 1050, o prefeito relatou que os dirigentes dos órgãos ambientais federais avaliaram e entederam que como o Plano de Manejo da Unidade Federal prevê a geração de energia sem impacto ambiental através de fontes limpas, não haverá dificuldade para agilização dos procedimentos de licenciamento, o que pode ocorrer brevemente.

Os projetos também já foram aprovados pela Assembleia Legislativa do Paraná; autorizados pelo governo do Estado e discutidos  Audiência Pública prevendo a implantação de pelo menos 80 aerogeradores com capacidade de geração de aproximadamente 174 megawatts de energia.

Somente após a obtenção da licença prévia é que deverão ser iniciadas as obras dos parques com previsão de investimentos na ordem de R$ 3 bilhões, em função da variação do valor do dólar após a projeção inicial de investimentos  nos Campos de Palmas de mais de 1 bilhão de reais.