Quase duas mil pessoas participaram do encontro anual de idosos promovido pela Secretaria Municipal de Ação Social de Francisco Beltrão, no sudoeste, que aconteceu sábado (01),  no centro de Eventos Marabá. O encontro é promovido pelo segundo ano consecutivo e reuniu toso os idos que participam dos clubes da cidade e do interior – atualmente são 50 grupos. A abertura do encontro aconteceu no período da manhã com várias atividades e a celebração de uma missa. Ao meio dia foi servido almoço e durante a tarde aconteceram várias atividades recreativas e também um matine animado pelo grupo Sintonia do Sul, de Francisco Beltrão.

De acordo com o diretor da Secretaria de Ação Social, Anildo Krug, o principal objetivo do encontro é incentivar e promover o entrosamento entre participantes dos grupos. E a iniciativa deu certo. Parentes que há tempos não se encontravam tiveram a oportunidade de matar a saudade durante o evento. “ Hoje por exemplo tive testemunha de pessoas, que se encontrou aqui parentes que fazia quatro anos que não se via e nesse encontro de idoso se encontraram, então esse é o evento pra que as pessoas possam se integrar, os grupos possam se integrar”, afirmou.

Mas além dos encontros, o encontro proporcionou momentos de felicidade para quem já enfrentou sérios problemas de saúde e hoje, graças ao grupo de idosos, tem a oportunidade de se divertir. Dona Lurdes Tonello é uma prova disso. A aposentada ficou dois anos enferma numa cadeira de rodas e hoje participa de um grupo de idosos da cidade. Acompanhada pelo seo João Biazin, de 78 anos, aproveitou cada minuto do evento e dançou muito. Pra ela, os grupos de idosos ajudam na cura até mesmo da depressão. “Os idosos vivem mais, isso aqui cura até depressão é bom é muito bom, eu danço do começo ao fim”, brincou. Seo João confirma tudo. O aposentado ficou três meses em Curitiba fazendo tratamento contra o câncer e atualmente não deixa de participar dos bailes e demais eventos dos grupos de idosos. Ele garante que está melhor que muitos jovens. “ Dançamos do começo ao fim sem descanso, ninguém mais jovem me acompanhou até agora”, garante.

Outro exemplo de superação é dona Gema Elza Prâmio. Com 89 anos acompanha todos os eventos promovidos pelo seu e os demais grupos de idosos de Francisco Beltrão. “Eu posso acompanhar eles, devagarinho mas vai e danço sim”, conta sorridente.

Mas quem não aprecia a dança, aproveitou o encontro para realizar outras atividades. Dona Fátima Macedo, reuniu os amigos para jogar canastra. Ela é coordenadora de um grupo e afirma ser muito feliz. “ Quando a gente era mais novo, a gente só trabalhava, agora é só jogar, beber, dançar e se divertir (…)  E o jogo é sério, tudo dentro da lei”, brinca a aposentada.

Além desse encontro anual, a Secretaria de Ação Social de Francisco Beltrão desenvolve atividades semanais com os grupos. Conforme Anildo Krug, um ônibus com músicos e a equipe da secretaria vai até as comunidades para animar os encontros. A iniciativa, além de alegrar os idosos ainda contribui em muito com a qualidade de vida de todos.

Ouça reportagem Onda Sul FM

Fotos: Evandro Artuzi