O ano de 2016 vai ficar marcado pelas dificuldades no setor econômico e pela crise política. O cenário complicado fez muitos empresários da região sudoeste do Paraná “pisarem no freio”. Mas, empreendedores do setor de moda e confecção de Francisco Beltrão tomaram rumo diferente: buscaram conhecimentos para crescer. Para serem mais competitivos, apostaram na inovação.

As mudanças aconteceram de diversas formas, seja na automação de processos, revitalização das fachadas ou em novo padrão para vitrines. Marcia Krindges, proprietária da Zerohum, loja de moda masculina e feminina, conta que as consultorias e treinamentos do Sebrae/PR foram importantes para promover mudanças no estabelecimento.

“Sem novos conhecimentos, acabamos caindo na mesmice, fazendo as mesmas coisas de sempre. Os treinamentos consecutivos fazem com que voltemos a ter atitudes diferentes. O mais importante é relembrar os procedimentos de atendimento, de arrumação de loja, de vitrines”, relata Marcia. A empresária detalha que foi por incentivo do Sebrae/PR que começou a implantação das vendas pelo comércio eletrônico.

Fabio Watte, da Zariff Calçados, seguiu outro caminho, a automação dos processos, envolvendo toda a parte de vendas, nos pontos físicos e no comércio eletrônico.

“O alicerce do projeto está na ideia de fazer mais com o mesmo. Nossa intenção é continuar gerando empregos. Em vez de reduzir o quadro, até aumentamos o número de colaboradores”, salienta Watte.

“Por ser uma empresa de compra e venda, iniciamos um programa organizacional, utilizando o software de gestão. Os processos de compra e venda, entre outros, existiam, mas não eram documentados. A participação do Sebrae/PR no projeto foi muito importante”, aponta Fabio Watte. No momento, a inovação nos processos está sendo aplicada na gestão de compras.

Recursos do Sebraetec

A consultora Jocelei Fiorentin, do escritório do Sebrae/PR em Francisco Beltrão, acredita que os empresários optaram por posicionar-se à frente do cenário adverso. “São empreendedores que decidiram enfrentar o momento com inovação. Essa foi uma recomendação que passamos aos nossos clientes para tornar as empresas competitivas. Principalmente no varejo, setor em que os consumidores estão mais exigentes e em busca de novos mercados e fornecedores”, detalha.

Segundo Jocelei, várias empresas mudaram os ambientes, processos internos e até estratégias, com recursos do Sebrae/PR, especificamente o Sebraetec, programa que permite o acesso subsidiado a serviços em inovação e tecnologia.

Assim ficou a loja Dress, na parte interna. Foto de divulgação
  • Compartilhe no Facebook

Assim ficou a loja Dress, na parte interna. Foto de divulgação

Banho de loja

Um bom exemplo da aplicação dos recursos está na Dress, que trabalha com moda masculina e feminina em Francisco Beltrão. Marcos Baseggio, sócio-proprietário da loja, buscou o Sebraetec para aplicar mudanças na empresa.

“Neste ano, reformulamos nossa equipe e fizemos mudanças físicas e estruturais na loja e na identidade visual. Ainda não atingimos nosso objetivo de rentabilidade, mas conseguimos melhorar bastante nosso resultado. Acredito que, seguindo nosso planejamento e com as vendas da próxima coleção, colheremos os frutos dos investimentos”, prevê Baseggio.