A Pequena Central Hidrelétrica Covó, em processo de instalação no rio Marrecas, em Mangueirinha, Sudoeste do Paraná, fechou contrato de venda de energia para o Governo Federal através do 1º Leilão de  Energia de Reserva, realizado pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) e EPE (Empresa de Pesquisa Energética) na última semana.

Com uma potência de 5 Mw (Megawatts) e garantia física de 2,6 Mw, a PCH Covó deverá contar com investimentos de mais de R$ 22,5 milhões. O contrato de venda, prevê a geração de 615,3 mil Mw/h (Megawatts/hora), a partir de 01 de março de 2020, que serão entregues ao Governo Federal, a um valor de R$ 232,45 por Mw/h. O contrato tem vigência pelo período de 30 anos, o que gerará um montante de R$ 143 milhões aos empreendedores.

A PCH recebeu autorização de construção por parte da Assembleia Legislativa em outubro de 2015, juntamente com as Pequenas Centrais do Tigre e Canhadão, a serem instaladas também em Mangueirinha e que no último mês de abril, fecharam contratos de venda de energia, através do leilão A-5.

Juntas, as centrais hidrelétricas, ambas vinculadas ao empresário palmense João Carlos Pedroso, terão potência de 19,00 MW (megawatts) e deverão fornecer mais de 2,1 milhões de MWh (megawatts-hora) a partir de 2021. A negociação foi fechada a um preço de venda de R$ 195,00 por MHw.