por Ivan Cezar Fochzato/Alencar Pereira

 

O fato chegou ao conhecimento da Polícia, após duas mulheres terem sido vistas andando em via pública com uma arma. Populares acionaram o telefone 190 da PM, e através da equipe de RPA da 2º Cia da PM foi feita a averiguação da denúncia e confirmada a informação. Policiais indagaram sobre a origem da espingarda de pressão, as mulheres relataram que foi recebida como pagamento pela realização de um programa sexual e estariam tentando vendê-la, uma vez que o “cliente” não tinha dinheiro para pagá-las.

 

Além de contarem a inusitada situação, ainda informaram que na casa onde prestaram o serviço havia mais armas. Com base nas informações, a equipe de RPA se deslocou para o endereço e localizou outra espingarda calibre 36 e um revólver, calibre 38.

 

O homem foi  levado inicialmente à sede da 2º Cia, e  negou conhecer as mulheres. Já na Delegacia foi levantada a informação de que as referidas armas possuem documentação, sendo então liberados proprietário e o armamento.