Uma grande operação para desarticular uma organização criminosa foi deflagrada nesta terça-feira (12) pela Polícia Federal nos Estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Denominada “Pleura”, a operação prendeu líderes de uma quadrilha que se utilizava de uma rota fluvial para o contrabando de cigarros contrabandeados do Paraguai.

Cerca de 100 Policiais Federais cumpriram 38 mandados judiciais, sendo 21 mandados de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão. No Paraná, os alvos foram as cidades de Loanda, Querência do Norte e Capanema. Em São Paulo a cidade de Tupã e no Mato Grosso do Sul os mandados judiciais foram cumpridos em Naviraí.

De acordo com a PF, a quadrilha fazia uso intenso dos Rios Paraná e Ivaí, na região de Querência do Norte, para o escoamento de cargas contrabandeadas de cigarros paraguaios, em embarcações que saiam de Salto del Guairá, no Paraguai. O poder da organização criou uma extensa rede de olheiros, carregadores e batedores que utilizavam armas e lanchas de apoio para viabilizar a atividade criminosa.

O esquema, segundo constatado durante a investigação, era comandando por dois irmãos residentes em Loanda (PR), um médico e um advogado, que foram presos. Além disso, uma família da região atuava intensamente na atividade ilícita, que se espalhava e chegava ao Sudoeste do Estado, através do Rio Iguaçu, em Capanema.

O nome da Operação remete à membrana que protege o pulmão – principal órgão responsável pela respiração – em alusão à atividade delituosa enfrentada.