Acompanhado do coordenador e de membros da Bancada Federal Paranaense, o deputado Assis do Couto foi ao DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte) cobrar o início das obras de duplicação da BR-163, entre Marmelândia e Cascavel. A reunião aconteceu no final da tarde da última quarta-feira, na sede do departamento, em Brasília. Durante a reunião, a Bancada informou ao departamento que, no orçamento do próximo ano, a duplicação da BR-163 no trecho já citado é prioridade absoluta. Para 2016, cada bancada terá direito a uma emenda impositiva.

Participaram da reuniãoalém do deputado Assis, Adailton Dias, diretor de Planejamento e Pesquisa, Gustavo Sá, diretor Executivo (substituto do diretor-geral), Luiz Antônio Garcia, diretor de Infraestrutura Rodoviária, José Tiago, superintendente Regional do DNIT no PR, deputado Federal Toninho Wandscheer, deputado Federal João Arruda, deputado Federal Osmar Serraglio, a prefeita de Capanema, Lindamir Denardin, Marcel Micheletto, presidente da AMP, Ivar Barea, prefeito de Capitão Leônidas Marques, Luiz Bandeira, prefeito de Marmeleiro.

“Fomos ao DNIT para saber quando vai começar a duplicação da rodovia, anunciada para o primeiro semestre de 2015 e também obter informações sobre a continuação dos trabalhos de recuperação de rodovias”, comentou o deputado Assis.

O superintendente do DNIT no Paraná informou que, pelas dificuldades financeiras enfrentadas pelo governo federal, algumas obras de recuperação foram paralisadas, estando entre elas o trecho entre Marmelândia e Barracão. Já o trecho entre Cascavel e Marmelândia está em andamento e vai continuar acontecendo. “Mas em um ritmo mais lento do que os moradores da região observaram nos últimos meses”, ponderou.

“Esta rodovia, principalmente no trecho entre Marmelândia e Cascavel, é um funil”, afirmou Assis. “Todas as cargas que vem do Paraguai, do Oeste, do Noroeste, do Mato Grosso do Sul, do Mato Grosso, passam por ali. E esta foi uma rodovia feita na década de 70. Cheia de curvas e com a tecnologia disponível na época. Nunca se imaginava que ali teria o movimento que tem hoje”, completou o deputado. Números apresentados pelos diretores do DNIT durante a reunião estimam que, hoje, mais de 15 mil carros trafeguem por este trecho da rodovia por dia.

O DNIT informou que, para iniciar a obra, o problema não é orçamentário, mas financeiro.  Neste sentido, a Bancada Federal Paranaense está em fase de articulação para pressionar o Ministério do Planejamento a liberar o recurso e possibilitar o início da obra ainda neste ano.