Aparecida, SP, está sediando a 52ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil de 30 de abril a 09 de maio, sexta-feira. Estão sendo refletidos como assuntos principais a renovação das paróquias em ordem a torná-la comunidade de comunidades e voltada para a irradiação missionária, atingindo o que se chama a “conversão pastoral” das estruturas, procedimentos e agentes. A Diocese de Palmas-Francisco Beltrão está sendo representada pelo Bispo Dom José Antonio Peruzzo.

 

De acordo com informações da assessoria de imprensa do evento, na manhã desta segunda-feira, na programação, teve como intenção especial o trabalho da Igreja na Amazônia. O arcebispo de Manaus (AM), dom Sérgio Eduardo Castriani, presidiu a celebração, que foi concelebrada pelos bispos das dioceses que estão na área da chamada Amazônia Legal.

Ao retomar o relato do martírio de Santo Estevão, que está na primeira leitura da liturgia de hoje, dom Sérgio destacou que este foi o primeiro de uma longa lista de mártires cristãos. “É uma realidade sempre atual, assim como a missionariedade e a caridade fazem parte da natureza da Igreja e a força dos mártires vem do Espírito e da visão de Jesus”, disse.

 

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, CNBB, foi fundada em 1952, por inspiração de Dom Hélder Câmara, então bispo auxiliar no Rio de Janeiro, onde se instalou a sede, transferida mais tarde para Brasília. A primeira assembleia geral da entidade foi realizada em 1953, em Belém do Pará. Após alguns anos, passou a ser anual e realizada no Distrito de Itaici, Indaiatuba, na aprazível casa de retiro dos jesuítas. A partir de 2011, acontece na cidade de Aparecida.