Entre janeiro e agosto deste ano, o município de Palmas, sul do Paraná, recebeu cerca de R$ 3,5 milhões do IPVA – Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores. No entanto, esse valor poderia ser quase 25% maior, caso todos os proprietários de veículos pagassem o tributo. Com uma frota tributável de 15,6 mil veículos, cerca 20,3%, mais de 3 mil veículos, estão em atraso com o IPVA, fazendo com mais de R$ 750 mil deixem de entrar nos cofres municipais.

Do imposto, 50% vai para o Estado e os outros 50% para o município. Segundo a Secretaria da Fazenda, foram arrecadados mais de R$ 7,7 milhões do IPVA em Palmas, tendo ainda mais R$ 1,5 milhão em débitos. A legislação prevê isenções em várias situações, tais como, de  carros com mais de 20 anos.

O débito com IPVA impede a obtenção do licenciamento do veículo e caso  o proprietário  circule sem o licenciamento está sujeito a  uma multa de R$ 191,54.  A infração é gravíssima e anota sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).  Além disso, o veículo pode ser retido até a regularização e não será permitida qualquer transação comercial envolvendo o carro.  O proprietário ficará impedido também de obter a Certidão Negativa de Débitos estaduais.