Em alusão ao dia 26 de setembro, quando foi celebrado o Dia Nacional do Surdo, o Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas (NAPNE) do Campus Palmas do Instituto Federal do Paraná (IFPR), juntamente com outras entidades, promoveu neste sábado (28), na Praça Bom Jesus, um evento de conscientização e visibilidade da comunidade surda.

  • Compartilhe no Facebook

De acordo com a coordenadora do Núcleo, professora Melânia Dalla Costa, existe a necessidade de se discutir a inclusão dessa significativa parcela populacional. Segundo o último Censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2010, mais de 2,3 mil pessoas residentes em Palmas, possuem alguma deficiência auditiva.

O encontro reuniu intérpretes, que demonstraram alguns aspectos da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Salienta professora Melânia, que também foii uma forma de chamar a atenção de diferentes segmentos sobre a comunidade surda, suas necessidades e também potencialidades em diferentes áreas.

A escolha do 26 de setembro como Dia Nacional do Surdo, é uma homenagem à criação da primeira Escola de Surdos do Brasil, em 1857, na cidade do Rio de Janeiro, que atualmente é conhecida como INES (Instituto Nacional de Educação de Surdos).

Uma das principais conquistas dos surdos ao longos dos anos foi o reconhecimento nacional da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), através da lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002 e do Decreto nº 5.626/2005.

Atualmente, estima-se que existam aproximadamente 45 milhões de brasileiros com algum grau de deficiência auditiva. A luta das pessoas com surdez também é relembrada todos os anos em 30 de setembro, quando se celebra o Dia Internacional do Surdo.