A bancada paranaense na Câmara Federal conta com dez representantes entre os 100 melhores deputados do país, segundo o Ranking do Progresso, divulgado no último sábado (27) pela revista Veja. O levantamento é realizado ao final de cada ano, com uma avaliação objetiva do desempenho dos deputados e senadores da República. Pelo Paraná, o parlamentar com melhor nota foi o petista Angelo Vanhoni, com 9,36 e a 3º colocação na Câmara. De está o deputado Sandro Alex (PPS), em 17º, com uma avaliação de 8,23.

O sudoestino Assis do Couto (PT), obteve a nota 5,85 e a 99ª colocação em entre os deputados avaliados. Por sua vez, Nelson Meurer (PP) é o 121º e uma média de 5,29. A vice-governadora eleita, Cida Borghetti (Pros) é apenas a 190ª com a nota 3,78. O novo secretário da Casa Civil do Paraná, Eduardo Sciarra, é o último dos paranaenses, com nota 1,65 e a posição 234.

O estudo também avalia o desempenho dos senadores. A ex-ministra chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT) obteve nota 7,0, sendo a 10ª parlamentar melhor avaliada. O candidato ao governo derrotado nas eleições deste ano, Roberto Requião (PMDB) teve nota 4,13 e o senador eleito para o 4º mandato, Alvaro Dias (PSDB) é o 63º, com média 2,42.

No Ranking do Progresso são avaliadas comparativamente as propostas de ajuste na legislação capazes de contribuir para um País mais moderno e competitivo, segundo a perspectiva de Veja e da Editora Abril. De acordo com a publicação, o Necon – Núcleo de Estudos sobre o Congresso, parceiro da revista no levantamento, desenvolveu uma metodologia que observa todas as etapas de uma proposição, de sua origem à votação final, com peso específico em cada uma das fases.

Os eixos de atuação selecionados para a confecção do ranking foram: carga tributária menor e mais simples; infraestrutura; combate à corrupção; melhor gestão do gasto público; sistema educacional universal e eficiente; marco regulatório claro e respeitado; simplificação de regras e posa da selva burocrática; governabilidade (relação entre poderes) e relações trabalhistas.