O deputado Nereu Moura ficou surpreso com um projeto lei enviado pelo governador Beto Richa (PSDB) esta semana à Assembleia Legislativa, com o objetivo de maquiar as contas do Governo do Estado. A proposta é idêntica à enviada pela presidente Dilma Rousseff (PT) ao Congresso Nacional, no final do ano passado, e que levou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) a pedir sua renúncia.

“Será que teremos que aplicar a mesma penalidade sugerida pelo senador mineiro, ao governador Beto Richa?”, indagou Nereu Moura, líder do PMDB na Assembleia Legislativa. O projeto do Executivo altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2014, que previa um resultado primário de R$ 2,34 bilhões, mas fechou com um rombo de R$ 934 milhões.

A intenção, segundo o deputado, é esconder a realidade vivida pelo caixa do Estado, totalmente esgotado, sangrando e para não receber punições do Tribunal de Contas, o governo está buscando amenizar a contabilidade para não ser enquadrado na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

“É uma pena, o Beto Richa foi eleito com uma grande esperança e na campanha prometeu um choque de gestão. Entretanto, o que está se vendo, são as velhas práticas, atitudes sorrateiras e de choque, só o ônibus da polícia”, ressaltou Nereu Moura.

“O governo gastou mal o dinheiro público, e muito mais do que arrecadou”, afirma o deputado. Segundo o parlamentar, Beto Richa jugou tudo na campanha eleitoral com um único objetivo: ganhar o pleito “custe o que custar”, para depois tentar consertar o estrago.

Para Nereu Moura, quem mais sofre é a população do Paraná que, “mesmo não tendo nada a ver com os desmandos, tem que pagar a conta”, concluiu.