O Departamento de Agricultura, juntamente com a estação do IAPAR (Instituto Agronômico do Paraná) de Palmas, sul do Paraná, realizam nesta  sexta-feira (21), um Dia de Campo sobre produção de amoras. Estão programadas palestras, almoço e visita técnica à propriedades que estão iniciando o trabalho com amoras e estabelecimentos já especializados na cultura. O objetivo do evento é fomentar a cultura, visto que o município, com a produção de apenas uma propriedade, é o maior produtor da fruta entre os 42 municípios do sudoeste.

De acordo com o diretor do Departamento, Edson Cassaniga, o trabalho visa buscar novas alternativas para os produtores, principalmente, os assentados. “O cultivo não necessita de mão de obra tecnificada, nem de uma área muito extensa para o inicio da produção”, salientou.

Explicou que, dentro dos planejamentos, é esperada a adesão de 30 produtores, que receberão 350 mudas cada, para o inicio do projeto. Conforme Cassaniga, técnicos do departamento de agricultura e do IAPAR prestarão apoio à esse agricultores, para que esses consigam reproduzir essa mudas, chegando à 3.500 mudas em 1 hectare, o que representa um módulo para a produção inicial de amoras.

Por sua vez, o coordenador da estação do IAPAR de Palmas, Wilson Schveiczrski, o projeto é de extrema importância, pois, além do baixo custo para a produção, também prevê parcerias comerciais para os produtores. Informou que através desse trabalho, começará a ser discutida a inserção da amora preta em pesquisas e desenvolvimentos por parte do IAPAR, para trazer os agricultores até a estação, viabilizando a realização de cursos e eventos técnicos na unidade.

Destacou que estações do Instituto na Lapa e na região oeste do Estado já realizam trabalhos de pesquisa na área das frutas vermelhas. No entanto, salientou que Palmas, pelas suas características geográficas, de solo e climáticas, tem todas as condições de tornar-se, em um curto espaço de tempo, na capital paranaense da amora preta.