por Ivan Cezar/Alencar Pereira

 

Dententos da cadeia pública de Palmas estão recebendo, em vários dias, alimentação inadequada. A constatação foi feita pelos policiais da DP que comunicaram o fato ao Conselho da Comunidade de Palmas que encaminhou o problema ao  Judiciário e Ministério Público.

O presidente do Conselho da Comunidade, advogado Emídio Caetano Rodrigues Junior,destacou que  a alimentação  vem de Guarapuava e não é mais feita localmente como ocorria até um tempo. O governo do estado promoveu uma licitação para aquisição da alimentação dos detentos, o quem vem ocorrendo desde maio.

 

Ao participar  do Programa Dinâmica 1050, da Rádio Club AM,  o presidente do Conselho da Comunidade, informou que além das condições da alimentação, existe também o problema da má qualidade dos produtos utilizados para as “quentinhas”. Na última semana a Vigilância Sanitária do município foi chamada para uma inspeção nos alimentos, que chegam ás 09h00 da manhã para o almoço e às 15h00 para o jantar. Diante do quadro, foi  feito um laudo e  encaminhado, hoje(30) ao Ministério Público da Comarca, sendo possível a abertura de Inquérito Civil para apurar a situação.

 

Por sua vez o proprietário da empresa de Guarapuava que fornece as marmitas, defende-se dizendo que a alimentação chega em Palmas em boas condições de consumo, sendo inclusive apresentada uma amostra ao responsável pelo recebimento do produto na DP local.Questionado sobre as embalagens que acondicionam os alimentos, reconheceu que são inadequadas e que já está providenciando um outro sistema. Ressaltou que deverá estar em Palmas na quarta-feira(01) para uma reunião com promotoria, juizado, conselho da comunidade e profissionais da DP, para resolver a questão.

Ouça explicações do presidente do Conselho da Comunidade da Comarca de Palmas, falando sobre a questão. Clique áudio.