Na semana passada, entre os dias 13 e 15 de outubro, equipes do Denarc de Pato Branco, com apoio da da 19ª Subdivisão Policial de Francisco Beltrão, cumpriram mais seis mandados judiciais relacionados a “Operação Perdigueiro”, que foi finalizada. Desses, quatro foram mandados de busca e apreensão e dois de prisão.

Em Francisco Beltrão, além do cumprimento de dois mandados de busca e um de prisão, uma pessoa foi presa em flagrante, pois mantinha em sua residência quatro rádios comunicadores, que estavam na frequência da Polícia Militar. As investigações indicam que os aparelhos eram utilizados para acompanhar o trabalho dos policiais e evitar que a quadrilha fosse presa durante a prática de delitos.

Em Pato Branco foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão e um de prisão. Com o cumprimento desses mandados, o total de traficantes presos com as investigações da Operação “Perdigueiro” é de 26 pessoas. Dessas, 24 continuam presas, três pessoas se encontram foragidas da Justiça e outras três pessoas suspeitas de envolvimento no tráfico de drogas foram indiciadas. Uma pessoa foi presa em flagrante no dia que foi deflagrada a operação pelo crime de tráfico, juntamente com seu esposo e atualmente responde em liberdade.

O saldo total de indiciados pelo delegado Ivonei Oscar da Silva, chefe do Denarc de Pato Branco, apenas na operação “Perdigueiro” é de 30 traficantes, os quais devem responder pelo crime de tráfico de drogas e associação para o tráfico> Além disso, os chefes da organização criminosa também responderão por corrupção de menores, financiamento para o tráfico e uso de violência para manter o tráfico.

O delegado do Denarc cita como exemplo uma pessoa que, no mês de abril de 2015, foi executada com vários tiros na cidade de Pato Branco. Os autores foram alguns dos presos durante a operação “Perdigueiro”, sendo que a vítima foi executada em razão da disputa por pontos de tráfico na cidade de Pato Branco.

Todos os indiciados nesta operação foram denunciados pelo Ministério Público de Pato Branco e o delegado acredita que em razão das provas colhidas durante as investigações todos devem ser condenados e permanecerão um bom tempo atrás das grades.

Ivonei Oscar da Silva ainda ressalta que a “Operação Perdigueiro” abrangeu todo o Sudoeste, Oeste e Centro Sul do Estado (Cascavel, Capitão Leônidas Marques, Francisco Beltrão, Pato Branco, Mariópolis, Palmas Guarapuava e Inácio Martins), municípios onde a organização criminosa atuava e os acusados foram presas. Também foram apreendidos vários veículos, drogas, armas de fogo e munições, algumas de calibre restrito.

Com o objetivo de desarticular o núcleo da organização de tráfico instalada na região, o Delegado Chefe do Denarc solicitou ainda o bloqueio de várias contas bancárias e imóveis pertencentes aos traficantes, todos adquiridos com os valores obtidos na prática do tráfico de drogas.

Segundo Ivonei, a abrangência da Operação Perdigueiro foi melhor que o esperado. Após vários meses de trabalho, além da desarticulação de perigosa organização que atuava diretamente no tráfico de drogas nas na região, foi possível identificar e prender dentre os traficantes, seis integrantes do grupo PCC, que estavam organizando um braço da facção criminosa na região Sudoeste do Paraná, um dos poucos lugares na região Sul do Brasil que o grupo ainda não se instalou.

Com isso, ficou comprovado que o crime de tráfico de drogas vem acompanhado de outros crimes, como roubos, homicídios, formação de quadrilha e organizações criminosas. Por isso, o delegado destaca que as operações realizadas pelo Denarc combatem diretamente não só o tráfico de drogas, mas os demais crimes que afligem a sociedade.

Presos que continuam detidos em face da operação

Sandro Luiz dos Santos, popular “Pisca”

Poliana Dias de Souza, popular “Poli”

Aldemir Francisco dos Santos, popular “Miro”

Gilmar José Gonçalves;

Ivan de França;

Sandro Gonçalves dos Santos;

Charles Ferreira da Cruz;

Rosane Carvalho Machado, popular “Nega”

Darci Pinho, popular “Vermeio”

Valdemir Faustino dos Santos, popular “Neguinho”

Renato Batista Franco Neto;

Claudinei Moreira Bopp, popular “Mentor”

Claudio Adão da Silva, popular “Adão”

Lindor Oliveira Cardoso, popular “Agrião”

André Ruan Dutra Machado, popular “Ligeirinho”

Ana Claudia Mussato;

Silvério de Oliveira Miniuk, popular “Bruxo”

Keila Barboza Antonelli;

João Carlos Dias Toledo, popular “Beto e Betinho”

Edison Antonio Perdona da Silva, popular “Gaucho Preto”

Adenilson da Silva, popular “Irmão Neguinho”

Vanderlei Pessoa da Silva, popular “Delei”

Edson Scheraiber, popular “Barroso”

Clarice dos Santos;

Foragidos da Justiça

Vanderlei Menezes, popular “Vande”

Gilberto Blodoff, popular “Blindado”

Luciano Salvador, popular “Jaqueti”

Ao todo, entre presos e indiciadas, a operação envolve 30 pessoas. Ivonei Oscar da Silva também afirma que foram apreendidas sete armas de fogo, entre elas uma metralhadora, uma escopeta calibre 12, uma pistola ponto 40 e revolveres calibre 38, além da apreensão de 32 quilos de maconha, 6 quilos de crack e meio quilo de cocaína. O delegado ainda solicitou o bloqueio de 06 imóveis, sendo 03 casas em Guarapuava, 02 lotes em Francisco Beltrão e 01 em Ampere.