A defesa do vereador, Zico do Mercadão(PMDB) acusado de compra de votos eleições de 2016 em Palmas, Sul do Paraná, questionou o pedido pelo Ministério Público para que a Justiça Eleitoral ouça novamente testemunhas arroladas ao processo movido pela Coligaçãoo Palmas Pode Mais, ainda em outubro do ano passado. Ao RBJ, Guilherme de Salles Gonçalves, cobrou agilidade da Justiça Eleitoral no julgamento do processo.

O MP/PR requereu nova inquirição após depoimentos neste mês, onde testemunhas mudaram suas versões anteriores e confirmaram, em depoimento de áudio e vídeo, o crime eleitoral de compra de votos pelo denunciado. Leia mais

Nesta tarde(27) o advogado que há mais de 20 anos atua em questões eleitorais, disse nunca tinha visto caso em que um depoimento se repetiu por várias vezes. Relatou que examinou detalhadamente os documentos e não há, no processo inteiro, a confirmação de vale gasolina. “O que existe são planilha de controle que foram apreendidas em posto de combustíveis da cidade que consolidam  gastos efetuados entre março e outubro de 2016”, disse ele.

Informou que a defesa manifestou pedido de abertura de prazo para alegações finais e para  que o processo seja julgado rapidamente. “Minha convicção é que esse processo deve ser julgado. Em tudo que está nos autos não há provas de conduta irregular do vereador Zico”, reafirmou.

Ao fazer uma analogia do referido processo aos julgamentos ligados às s questões do futebol, em que se busca reverter resultados no chamado tapetão, o advogado disse que está na hora de acabar com a “flumeneização” das eleições. “Tá na hora de acabar com o drama e julgar de uma vez essa ação”, finalizou. Ouça integra do posicionamento do advogado.