Os laboratórios de 13 escolas estaduais que oferecem o curso técnico em Edificações receberam novos equipamentos para as aulas práticas dos alunos. Os aparelhos, como GPS, prensas e tacógrafos estão sendo entregues desde janeiro de 2014. Até o fim de junho todos os laboratórios estarão completos. O investimento é de R$ 2,9 milhões e faz parte do programa Brasil Profissionalizado.

No Colégio Estadual Mário de Andrade, em Francisco Beltrão (Sudoeste), o curso técnico em Edificações começou neste ano e o laboratório já está praticamente completo. A primeira turma do curso, com 35 alunos, poderá usar os equipamentos no segundo semestre, durante as aulas práticas.

A professora Janice de Fátima de Mello, coordenadora do curso técnico de Edificações no Colégio Mário de Andrade, explicou que os equipamentos permitirão várias possibilidades práticas para os alunos. “Os laboratórios estão sendo montados e serão usados no segundo semestre. Os alunos vão poder usar o teodolito e equipamentos de GPS para fazer a topografia e medição de terrenos, de ângulos e ensaios de amostragem de concretos”, disse a professora Janice.

Para a instalação do curso de Edificações no Colégio Mário de Andrade foi feita uma pesquisa para verificar se havia procura de alunos para a área. “Temos uma demanda a ser suprida aqui na região Sudoeste em relação à construção civil. A procura foi grande e tivemos que fazer uma seleção dos estudantes”, explicou o diretor Marcos Antonio Bevilaqua.

O colégio já recebeu equipamentos para todo o curso. “Vamos ter um laboratório completo, num valor aproximado de R$ 400 mil”, disse o diretor. A aluna Maria Eduarda da Silva, de 15 anos, viu no curso técnico em Edificações uma grande oportunidade para ter uma profissão.

Ela mora em Flor da Serra do Sul, cidade que fica a 40 quilômetros do colégio. “Venho de van todos os dias para a escola. Eu já tinha o interesse no curso e não quis perder a oportunidade. A parte prática será muito importante para nós. O curso técnico vai melhorar a minha formação. Depois, quero fazer faculdade e já terei uma base boa. Será mais fácil quando eu entrar no ensino superior”, disse Maria Eduarda.

Bruno Felippi Miguel, 14 anos, também acredita que um curso técnico fará a diferença para o futuro. “É bom fazer o curso técnico porque é mais completo e isso ajuda na profissão”, disse.

A professora Janice de Fátima afirmou que os aparelhos serão essenciais para os alunos terem contato com a realidade que irão encontrar no mercado de trabalho.

O Colégio Mário de Andrade atende 1.700 alunos no ensino fundamental, médio e profissionalizante, com os cursos técnicos de edificações, técnico em administração e formação de docentes. O colégio funciona nos três turnos.

LABORATÓRIOS – Além do Colégio Mário de Andrade, outros 12 colégios que oferecem o curso técnico em Edificações receberam os equipamentos para os laboratórios:

Colégio Estadual Ana Vanda Basara – Guarapuava
Colégio Estadual do Paraná – Curitiba
Colégio Estadual Flavio Warken – Foz do Iguaçu
Colégio Estadual Juscelino Kubistchek de Oliveira – Maringá
Colégio Estadual Loureiro Fernandes – Curitiba
Colégio Estadual Padre de Anchieta – Apucarana
Colégio Estadual Polivalente – Londrina
Colégio Estadual Polivalente – Ponta Grossa
Colégio Estadual Túlio de França – União da Vitória
Centro Estadual de Educação Profissional Curitiba – Curitiba
Centro Estadual de Educação Profissional Pedro Boareto Neto – Cascavel
Colégio Estadual Doutor Marins Alves de Camargo – Paranavaí