Por Ivan Cezar Fochzato

 

 

A crise por que passam os produtores de maçãs de Palmas, Paraná, está levando a tomada de medidas drásticas em relação a continuidade da atividade.

 

A COCAMP (Cooperativa dos Produtores dos Campos Palmenses), por exemplo, antecipou a demissão de trabalhadores em função da diminuição da produção. A ocupação dos trabalhadores deveria seguir até o mês de outubro.

 

O presidente da entidade, Roberto. Hasegawa, informou que muitos associados estão abandonando a atividade e inclusive erradicando pomares para impedir a proliferação de pragas o que prejudicaria aos que irão continuar na atividade.

Destacou que vários fatores estão interferindo na continuidade na produção de maças, como por exemplo, o individamento e a necessidade de renovação dos pomares, que são antigos e não produzem a quantidade necessária para atender aos custos de produção.

 

Conforme o dirigente vários esforços estão sendo feitos para que a Cocamp não seja extinta. Hasegawa diise que estão buscando outras cooperativas que atuam no setor, até mesmo numa tentativa de fusão, para garantir a estrutura necessária para os produtores que desejam continuar na atividade e até mesmo para fortalecer novos empreendimentos na produção.

 

Confira entrevista (áudio) com Roberto Hasegawa que analisa situação do setor.