Por Larissa Mazaloti

 

Nesta terça-feira (30) o diretor da Carteira de Crédito da Cresol Central Baser, Luiz Panzer esteve no Rio de Janeiro em reunião com o presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Luciano Coutinho.

 

A Cresol (Sistema de Cooperativas de Crédito com Interação Solidária), que tem centrais em Chapecó (SC) e Francisco Beltrão (PR) passou a migrar operações de crédito para investimento com o BNDES em 1998. Em 2005 passou a ser agente financeiro o que, segundo Panzer, significa que a Cresol é um ‘braço do Banco nas cidades em que atua.

 

As operacionalizações de Pronaf Custeio, antes feitas apenas através do Banco do Brasil, em 2007 passaram a ser feitas pelo BNDES.

 

É por esta relação com o Banco Nacional que Coutinho recebeu dirigentes da Cresol. Em entrevista à Onda Sul FM na manhã desta quarta-feira (31), Panzer relatou os três pontos abordados na reunião e afirma que agricultores familiares souberam aproveitar a oportunidade de crédito criada pela Cresol.

 

Na pauta, o principal assunto foi a prestação de contas, já que, conforme explica o diretor da Cresol, trata-se de uma parceria que envolve recursos públicos. “O BNDES é uma instituição de respeito e importante para a Cresol e os cooperados”, comenta.

 

Além disso, foi apresentado ao presidente do banco, o projeto de expansão da Cresol. Panzer salienta que está acontecendo a abertura dos estatutos que são analisados pelo Banco Central que irá validar ou não a atuação da cooperativa em mais nove estados nos próximos anos. Ao mesmo tempo, os dirigentes reivindicam a mesma atenção que foi direcionada aos estados do sul.

 

Outro ponto foi a apresentação d eum projeto de fundo social, para o qual, de acordo com Panzer, Coutinho já antecipou que o BNDES colocaria recurso pra esse trabalho. “O presidente referiu-se ao Sistema Cresol como extraordinário e disse que tem boas informações sobre o trabalho desenvolvido”, relata.

 

 

OUÇA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA