Em vigor desde agosto do ano passado, a cobrança de R$ 15,00 por encomenda que desembarca no Brasil geram 4,5 milhões diariamente aos Correios, somente no Paraná. A taxa é obrigatória, sob pena de devolução dos volumes.

Diariamente chega ao Estado, aproximadamente 300 mil encomendas. A cobrança gera surpresa e polêmica já que é aplicada a qualquer encomenda vinda de outro país, independente do valor do produto, ou seja, bijuterias e outros produtos de baixo valor. Na Agência dos Correios em Palmas são registrados entre 08 a 10 objetos importados todos os dias.

De acordo com a empresa, nos últimos anos, o serviço era cobrado apenas para os objetos tributados pela Receita Federal. Porém, com o aumento das importações, a empresa precisou injetar mais recursos na operação para manter o padrão do serviço.

Esclarece que despacho postal não deve ser confundido com tributo ou frete. O serviço refere-se às atividades de suporte ao tratamento aduaneiro realizadas pelo operador postal, como o recebimento dos objetos e inspeção por raio X, formalização da importação no sistema da Receita Federal tratamento de eventuais inconformidades (objetos proibidos, perigosos ou com exigências específicas impostas pela autoridade aduaneira para admissão), recolhimento e repasse dos impostos à Receita Federal (quando houver tributação), disponibilização de informações ao importador para desembaraço da remessa via internet, entre outras. O serviço cobrado pelos Correios, é quatro vezes menor que a média praticada por outros operadores logísticos para realizar procedimentos similares.