Foi encontrado na tarde desta segunda-feira (02) às margens da PR 471, no Distrito de Vista Alegre – Enéas Marques, o corpo do taxista da cidade de Dois Vizinhos, Santino Lopes Pedroso, 38 anos. Ele estava desaparecido desde sábado (28) a noite quando saiu de casa para fazer uma corrida até a cidade de Francisco Beltrão.

Conforme familiares, o taxista saiu as 21 horas e como não retornou, no início da madrugada de domingo (01) a polícia foi comunicada e começou a procurar por ele junto com familiares. A primeira pista sobre o desaparecimento veio no domingo pela manhã, com a apreensão do carro dele, um Honda Civic, na ponte Airton Senna, em Guaíra (PR).

O carro foi abordado numa operação da Polícia Rodoviária Federal, mas o motorista, um adolescente, tentou fugir e se envolveu num acidente. O menor foi apreendido e disse que estava levando o carro para o Paraguai. Policiais Civis da 19ª SDP estiveram em Guaíra e constaram manchas de sangue nos bancos do táxi.

Em conversa com o menor, ele afirmou que o taxista havia sido morto e o corpo deixado às margens da rodovia que liga Francisco Beltrão a Dois Vizinhos. As buscas, então, não cessaram e por volta das 16 horas desta segunda-feira, populares que ajudavam a polícia encontraram o corpo. Estava coberto por alguns arbustos e apresentava várias perfurações provocadas por golpes de faca, principalmente no pescoço e peito.

A Criminalística foi acionada e fez a perícia no local. Em seguida, o corpo foi recolhido ao IML de Francisco Beltrão. O delegado de Dois Vizinhos João Marcelo Renk Chagas, que investiga o crime, confirmou que trata-se de um latrocínio, porém não soube informar se houve luta corporal entre a vítima e os bandidos.

Pelas informações apuradas pela polícia, dois rapazes teriam solicitado a corrida até um clube de dança de Francisco Beltrão e no trajeto deram voz de assalto. No entanto, o delegado acredita que, pelo menos cinco pessoas estão envolvidas. O adolescente já foi apresentado à justiça e permanece recolhido. Quanto aos demais envolvidos, continuam sendo procurados pela polícia.

O taxista Santino Lopes Pedroso estava na profissão há quatro anos. Era casado e pai de uma menina de apenas dois anos.

Fotos: Evandro Carlos Artuzi