Com as mudanças na sistemática de vistorias, o Corpo de Bombeiros de Palmas, sul do Paraná, está orientando aos proprietários de estabelecimentos comerciais, industriais e prestadores de serviços,  sobre as novas normas para a solicitação do serviço, que é obrigatório, pois, sem o certificado de vistoria, não há a liberação do alvará do de funcionamento por parte da prefeitura municipal.

Conforme o comandante do Corpo de Bombeiros de Palmas, Sargento Clovis Maccari, a legislação sobre prevenção de incêndios, existe desde 2001, passando por uma atualização em 2012, após o incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, que matou mais de 240 pessoas. Segundo Maccari, até então, o Corpo de Bombeiros realizava as vistorias e as irregularidades encontradas eram encaminhadas aos órgãos competentes para que tomasse as devidas providências. “Somente após esse fato em Santa Maria, esses órgãos abriram os olhos para o risco que se estava correndo em não executarem essas interdições.”, destacou.

Sobre alguns fatos registrados em Palmas por exemplo, com a interdição de alguns estabelecimentos, sgt. Maccari explicou que é realizado o serviço de fiscalização e imposto prazos para que as irregularidades sejam adequadas de acordo com a legislação. Salientou que em momento algum, “foi tirado o direito de funcionamento desses estabelecimentos”, no entanto, alguns proprietários não demonstraram empenho para realizarem as adequações, incorrendo na interdição de alguns locais.

Explicou que desde o final do ano passado, o Corpo de Bombeiros conta com um novo sistema para a solicitação de vistorias. Desde então, os proprietários devem realizar um novo cadastro, via internet, para solicitação de vistorias. Informou que atualmente, o Corpo de Bombeiros de Palmas tem 900 vistorias realizadas no ano, enquanto que, de acordo com o Departamento de Tributação, há 1,5 mil empresas ativas no município, uma defasagem de aproximadamente 40%. Orientou aos proprietários para que procurem a corporação para que se regularize a situação.

Ouça: