Diante da realidade da economia brasileira, a nova equipe econômica do Governo Dilma busca estabilizar as contas com uma série de medidas. A última foi o aumento nos juros da Caixa Econômica Federal para a aquisição da casa própria. Dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), as novas taxas variam de 8,5% a 9,15% ao ano. Segundo o Governo, não há mudança nos financiamentos do programa Minha Casa Minha Vida e da Carta de Crédito do FGTS.

Para Marini, Palmas deverá ter um ano, economicamente, bastante positivo
  • Compartilhe no Facebook

Para Marini, Palmas deverá ter um ano, economicamente, bastante positivo

Muitos especialistas vêem 2015 com pessimismo, colocando-o como um ano de aperto financeiro. Por sua vez, o empresário e engenheiro civil, Jerri Marini, aponta que o município de Palmas, sul do Paraná, poderá ter um ano oposto ao do país, com resultados bastante positivos. Destacou que os programas direcionados à população de baixa renda, como o Minha Casa Minha Vida, continuam sem alterações, num primeiro momento. Porém, demonstra cautela, reconhecendo que podem ocorrer mudanças no futuro.

Dentro do mercado de materiais de construção, a visão é otimista. Para Marini, o setor seguirá aquecido com a alta oferta de empregos em Palmas, citando os projetos de implantação de novos parques eólicos, que deverá movimentar inúmeros setores da economia local. No entanto, algumas medidas econômicas também recaíram sobre os materiais, o que aumentou os preços. Mas, segundo Marini, o que mais influenciou no reajuste foi a alta do dólar.

Por outro lado, com a retração do mercado, as empresas estão com excesso de material em seus estoques, obrigando-as a venderem os produtos a preços mais baixos, o que pode beneficiar o consumidor.

Ouça: