O proprietário de automóvel que tiver a placa do veículo clonada vai poder pedir uma nova placa diretamente ao Departamento de Trânsito, sem a necessidade de esperar que o veículo que esteja usando a placa de forma ilegal seja encontrado.

A resolução foi publicada nesta semana pelo Conselho Nacional de Trânsito. Além disso, também não há necessidade de abrir um processo e contratar advogados. Hoje, o condutor prejudicado tem que realizar uma maratona de visitas: Advogado, Fórum, Polícia, Detran, Tribunal de Justiça e outros.

O coordenador de educação do Departamento Nacional de Transito, Francisco Garonce, conta como os proprietários identificam que o carro foi clonado.

“Normalmente, esta identificação do clonado se dá por conta de multas, que começam a aparecer e o indivíduo não sabe o porquê. Eu nunca estive em determinado lugar… ou vem a fotografia e ele identifica que, no momento da infração, quando o carro foi flagrado, aquela imagem não corresponde exatamente ao seu veículo, quer seja porque tem um adesivo que o seu veículo não tem, ou porque tem um amassado, ou porque tem uma película diferente no vidro. Então estas características são integradas no processo, que agora já está regulamentado no Conselho Nacional de Trânsito e isto facilita a vida do cidadão de bem.”

A atual frota nacional de veículos chega a quase 100 milhões de carros e especula-se que possam existir quase 100 mil veículos clonados rodando no território brasileiro.