Uma votação feita através de urnas espalhadas nas bases descentralizadas da região aprovou indicativo de greve dos socorristas do Serviço Móvel de Urgência (SAMU), no sudoeste do Estado. Segundo Ênio da Luz, presidente do Sintropab – Sindicato que representa a categoria, a decisão pela paralisação foi quase que unânime, com 99 % de aprovação.

No sudoeste são 96 condutores socorristas que estão reivindicando reajuste salarial. Atualmente o salário base é de R$ 1.011,00 (um mil e onze reais) e os socorristas pedem a elevação para R$ 1.970,00 (Um mil novecentos e setenta reais).

No entanto, o Ciruspar – Consórcio que administra o SAMU oferece apenas o índice do INPC que chega a 6,22 %. Com isso, o salário seria elevado à R$ 1.086,00, valor que os servidores consideram inaceitável. Se não houver acordo, os profissionais devem parar quinta-feira (301), a partir das 11 horas.