As comunidades indígenas de Palmas e Clevelândia, no Sudoeste do Paraná, e de Abelardo Luz e Ipuaçu, Oeste de Santa Catarina, estão recebendo cestas básicas, através do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

A ação é parte do Plano de Contingência para Populações Vulneráveis, lançado pelo Governo Federal no contexto da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A iniciativa conta com o apoio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), da Fundação Nacional do Índio (Funai), da Fundação Cultural Palmares (FCP) e da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai).

Até o final de junho, o ministério deverá destinar R$ 4,7 bilhões para que povos e comunidades tradicionais em situação de vulnerabilidade possam enfrentar os impactos do isolamento social. Além das quatro comunidades da região, outras 46 também receberão os mantimentos.

A cesta básica contém arroz, feijão, farinha de trigo, açúcar, óleo, macarrão, fubá e leite em pó e cada família recebe duas unidades, totalizando 44 kg de alimentos.

Para as 50 comunidades no Paraná e Santa Catarina, serão entregues 13,5 mil cestas, o equivalente a mais de 297 toneladas de produtos.  De acordo com a Conab, responsável pela logística de distribuição, todas as medidas de higiene estabelecidas pelas autoridades de saúde estão sendo respeitadas para diminuir as chances de propagação do vírus.