O Complexo Eólico do Contestado, projetado para instalação na região do Herciliópolis, entre os municípios de Água Doce e Macieira, no Meio Oeste de Santa Catarina, obteve a Licença Ambiental Prévia. A informação foi divulgada pela empresa desenvolvedora do projeto, a RDS Energias Renováveis.

Ao portal Canal Energia, o diretor da RDS, Rodrigo Nereu dos Santos, destacou que a obtenção da licença ambiental é um importante passo para a viabilidade do empreendimento, permitindo aos investidores participar de leilões para venda e realizar os investimentos necessários para construção do projeto.

  • Compartilhe no Facebook

Localização do empreendimento

O projeto do Complexo Eólico do Contestado prevê a implantação de 12 parques, com 105 aerogeradores, com altura de 119 metros cada, que produzirão 283,5 megawatts (MW) de energia. Destacam os investidores, que o empreendimento está inserido numa região favorável à geração de energia a partir das forças dos ventos.

Os 105 aerogeradores previstos serão instalados em uma área de 7,5 mil hectares, beneficiando diretamente produtores rurais, que dividirão uma renda de R$ 3 milhões por ano com arrendamento de terras.

A compensação ambiental prevista do projeto é de R$ 5,5 milhões, montante este que será direcionado a projetos ambientais. A prefeitura de Água Doce deverá arrecadar mais de R$ 20 milhões na construção do empreendimento e R$ 6 milhões ao ano no período operacional da usina eólica.

Segundo os empreendedores, o valor previsto para a implantação do projeto gira em torno de R$ 1,7 bilhão. Ao todo, desde o processo de participação em leilão para venda de energia, obtenção de financiamentos, construção, até o inicio da operação comercial, estima-se um cronograma de três anos.

A previsão é que a instalação do Complexo Eólico do Contestado demandará uma quantidade de mão de obra direta e indireta de mais de 3,1 mil pessoas durante a etapa de construção e de cerca de 370 funcionários ao longo da operação da usina.