No mês de maio serão conhecidos os vencedores da edição 2014 do Concurso Regional de Perdas na Colheita, uma iniciativa da Seab e Emater/PR em parceria com as secretarias municipais de agricultura da microrregião de Francisco Beltrão. O vencedor vai receber uma moto 0 km de presente.

Nesse ano estão inscritos 170 operadores de colheitadeiras, em 2013 foram 198. Mas o chefe do Núcleo Regional d a Seab, engenheiro agrônomo Neri Munaro afirma que não houve redução de participantes, mas um acréscimo.

Isso por que na edição passadas estavam inscritos operadores de 27 municípios e nesse ano são representantes de apenas 20 municípios, em virtude da instalação do Núcleo Regional da Seab, em Dois Vizinhos. E a avaliação das perdas teve início nesta terça-feira (18), na comunidade de Água Vermelha, interior de Francisco Beltrão, com avaliação na propriedade do produtor de soja Jair Dobner.

Integrantes da comissão municipal recolheram grãos de soja que ficaram na lavoura após a colheita feita pelo operador Pedro Biasin, que está inscrito no concurso e também participa de um curso ministrado pelo Sennar/PR com objetivo de auxiliar os operadores na regulagem correta das colheitadeiras, primeiro passo para se evitar as perdas.

Segundo o instrutor do Sennar, Edson Zuchi , a perda aceitável por hectare é de até 15 Kg, mas no caso da propriedade do seo Jair, a colheitadeira estava perdendo cerca de 20 Kg, isso constatado no corte da soja, por isso a máquina teve a plataforma regulada minuciosamente.

O operador Adilson Lago, que também participa do concurso, não perdeu nenhuma explicação. Ele afirmou que nos próximos dias vai iniciar a colheita das lavouras de propriedade da família e quer deixar a colheitadeira em perfeitas condições para, se possível, zerar a perda.

Conforme Neri Munaro, com o concurso a Seab busca não só premiar os operadores, mas também auxiliar os produtores para que tenham maior rentabilidade já que as perdas são menores nas lavouras. “Mais produção significa maior renda, mais negócios e agricultores mais animados a permanecer no campo”, lembrou.