Por Larissa Mazaloti

 

Passam a funcionar nesta segunda-feira (20), os seis leitos da UTI (adulto) da unidade de FRancisco Beltrão do Ceonc (Centro de Oncologia), credenciados pelo SUS (Sistema Único de Saúde) no final do mês de maio. Além destes, há na mesma instituição mais 30 leitos, totalizando 36 leitos a disposição da população do sudoeste. Dois pacientes já utilizam neste primeiro dia, o serviço da Unidade de Terapia Intensiva.

 

De acordo com informações da secretária municipal de Saúde de Francisco Beltrão, Cintia Ramos, na tarde desta segunda-feira uma equipe de técnicos da SESA (Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) está no Ceonc para supervisionar o início do funcionamento da UTI.

 

É Cintia também quem explica que houve este período, do credenciamento ao início das atividades, devido a falta de um médico intensivista que agora já está contratado e trabalhando. “Esta é uma dificuldade recorrente em vários locais, mas agora está resolvido”, comenta e revela que é um dia festivo para o sudoeste. “A pendência mais importante de ser resolvida para o credenciamento completo do Ceonc era o funcionamento da UTI. Agora estamos bem mais perto”, comemora.

 

Outra informação nova sobre o credenciamento do Ceonc é que o pedido sofreu modificações. Segundo a secretária municipal de Saúde a Radioterapia e Hematologia foram substituídas pela solicitação da liberação ddos serviços de Quimioterapia, Cirurgia Oncológica e Oncologia Clínica. “Estávamos dependendo de um parecer da Comissão Nacional de Energia Nuclear para a Radioterapia e o prazo deles é longo. Preferimos agilizar solicitando a Quimioterapia. Depois, apenas depois precisaremos faze rum novo pedido de Radioterapia”, esclarece ela sobre a mudança. O pedido deve passar na comissão Bipartite para aprovação.

 

Em Francisco Beltrão estão à disposição 38 leitos de UTI para os pacientes que utilizam o SUS. São 25 leitos adultos e 13 de UTI Neonatal. Cintia garante que quando algum estabelecimento de saúde que atende pelo SUS não tiver leitos, pacientes podem ser remanejados, mesmo que não seja para tratamento de câncer, aumentando assim a disponibilidade do serviço.

 

De acordo com a secretária, Estado e União devem habilitar a unidade beltronense ainda em setembro. Ela informa que são mais de cem pacientes que fazem quimioterapia fora de Francisco Beltrão e que terão a comodidade do tratamento perto de casa.