O segundo mandato do governador Beto Richa (PSDB) iniciou com uma série de medidas para contenção de gastos e aumento nas receitas do Estado. Antes mesmo de encerrar o seu primeiro governo, o tucano apresentou um “pacotaço” de projetos, que incluíam o aumento em 40% no IPVA, aumento do ICMS sobre mais de 95 mil itens e combustíveis, taxação de aposentadorias do funcionalismo público, extinção de secretarias, entre outros.

Serviços essenciais, como o atendimento médico através do SAS (Sistema de Assitência à Saúde) estão suspensos, porque os hospitais credenciados não recebem o repasse referente ao convênio há mais de três meses. As Patrulhas do Campo, viabilizadas através de consórcios intermunicipais, cujas partes de responsabilidade dos municípios já foram quitadas, estão paradas por determinação do Governo Estadual. O Executivo justifica-se, informando que a nova equipe econômica está realizando um levantamento das contas estaduais, para elaborar um cronograma de pagamentos.

Em meio à esse cenário e sob o discurso de austeridade nos gastos públicos, o governador Beto Richa e os seus secretários não abrirão mão do reajuste de seus salários. A informação é do jornal Gazeta do Povo. Desde o dia 01º de janeiro, o subsídio do governador foi elevado de R$ 29,4 mil para R$ 33,7 mil. Os secretários passaram a receber R$ 23,6 mil. Com base na Lei Estadual 15.433/2007, o vencimento do governador do Paraná deve ser igual ao dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), que foi reajustado no mês de dezembro. Dessa forma, o salário de Beto Richa foi aumentado automaticamente, sendo o maior salário entre os governadores brasileiros.

Um exemplo citado é o do governador de São Paulo, o tucano Geraldo Alckmin, que passou a ganhar R$ 21,6 mil, menos do que ganha um secretário paranaense. A vice-governadora, Cida Borghetti (Pros) também recebeu aumento. Segundo a legislação estadual, ela deverá receber o equivalente à 95% do salário do governador. Já os secretários recebem um valor igual à 70% do vencimento do Chefe do Executivo. Vale lembrar que a esposa do governador, Fernanda Richa, e o irmão, José Richa Filho, ocupam secretarias estaduais.

A assessoria do Governo informa que não há plano para que Richa e/ou seu secretariado abram mão dos aumentos. Segundo a assessoria, o governador realiza doações mensalmente, porém, prefere não revelar a instituição e nem os valores repassados.