Em Francisco Beltrão, a maioria dos bairros da cidade já recebeu as reuniões do Orçamento Participativo, um mecanismo de inclusão das sugestões dos moradores das próprias comunidades no Planejamento Plurianual. Desde maio, 31 encontros foram realizados nas comunidades do interior e na cidade.

“No primeiro ano de gestão, temos que terminar as obras, pagar e prestar contas e também planejar o futuro do município, e isso fazemos dividindo responsabilidades com as comunidades, que elegem suas prioridades”, explica o prefeito Antonio Cantelmo Neto (PMDB) durante as reuniões. As reivindicações variam desde o pedido de homenagem a moradores com nomes de ruas e locais públicos até sugestões de horários e metodologias diferentes para o atendimento da saúde.

Apesar de não dispensar os investimentos em saúde e educação, boa parte das reivindicações dos bairros diz respeito à questão urbanística, como melhoria das galerias pluviais, pavimentação de vias e pequenas obras para prevenir os efeitos das enxurradas e melhorar o tráfego de veículos e pessoas.

O Orçamento Participativo termina na próxima semana, quando acontecem as reuniões nos bairros Água Branca (quarta-feira), Cristo Rei (quinta) e no Nossa Senhora Aparecida e Jardim nova Petrópolis (sexta).