Desde o início da semana, por conta das rebeliões e ataques em todo o País, a segurança da penitenciária Estadual de Francisco Beltrão, Sudoeste do Estado, foi reforçada. Por determinação do Depen (Departamento Penitenciário) foi reforçado o contingente da Polícia Militar no presídio, além de outras medidas envolvendo os próprios Agentes Penitenciários e a transferência de alguns presos que tinham ligação com facções criminosas. O objetivo é evitar qualquer tipo de problema no presídio, que atualmente abriga 1.142 detentos.

De acordo com Marcos Andrade, diretor da Penitenciária Estadual, o local é uma caixa de surpresas, por isso as equipes estão sempre atentas a qualquer movimentação dos presos. Também como medida preventiva, foi realizada nesta quinta-feira (19) um a operação “Bate Grade”. Todas as celas foram vistoriadas minuciosamente pelos Agentes Penitenciários, que contaram com apoio da Polícia Militar, através de equipes dos Batalhões de Francisco Beltrão, Pato Branco e ainda do BPFron (Batalhão de Fronteira).

O resultado da operação, segundo Andrade, foi a apreensão de um aparelho de telefone celular, 150 buchas de caiçara (fumo), uma broca usada para perfurar concreto e diversos estoques de metal (armas artesanais confeccionadas a partir de pedaços de ferro).

Equipes da Rotam e BPFron auxiliaram Agentes Penitenciários na operação. Foto de divulgação
  • Compartilhe no Facebook

Equipes da Rotam e BPFron auxiliaram Agentes Penitenciários na operação. Foto de divulgação

Conforme o respondente pelo Comando do 21º Batalhão de Polícia Militar, Capitão Rogério Gomes Pitz, essas operações têm por objetivo verificar possíveis danos nas partes estruturais das celas, bem como a localização de objetos que entram de forma ilegal na Penitenciária. “Operações como essas são rotineiras para o 21º BPM, em parceria com a direção da PEFB, para proporcionar mais segurança aos agentes penitenciários que desenvolvem as suas atividades naquele local”, explicou o Pitz.

Para o diretor Marcos Andrade, as equipes mais uma vez agiram com profissionalismo. “Todo o trabalho de retirada dos presos e vistorias das celas foi realizado de forma bem tranquila, com o cuidado redobrado com a segurança de todos os envolvidos, já para não se criar brechas e questionamentos”, destacou.

Quanto a supostos disparos de arma de fogo efetuados contra a Penitenciária na madrugada de terça-feira (17), o diretor revela que a situação está sendo verificada pelo Depen e demais órgãos competentes. “Temos algumas boates próximo do presídio e é comum as pessoas deixarem o local de madrugada, então talvez tenha siso alguém que saiu de lá que atirou, mas está sendo verificado. Nossa equipe de inteligência está cuidando disso junto com a Polícia Civil”, concluiu.