A empresa Ângulo Pesquisas foi condenada por danos morais e materiais pela Justiça da Comarca  de Palmas, sul do Paraná, em uma ação movida pelo CPEA – Centro Pastoral, Educacional e Assistencial Dom Carlos, por não respeitar regras de contrato e inverter resultado de pesquisa de opinião.

Ainda em 2010, o Colégio BJ foi inicado através de pesquisa realizada pela Ângulo Pesquisas como: Melhor Colégio Particular de Ensino Fundamental da cidade. Entretanto  em publicação do resultado em meio de comunicação impresso, o Instituto de Pesquisas publicou como vencedor outro estabelecimento privado do município. Houve contestação do fato o que levou a Ângulo Pesquisas a uma retratação sobre o equívoco  no mesmo jornal,  em fevereiro de 2011. O  constrangimento ocorreu novamente na cerimônia de premiação, durante um jantar. No evento representantes do Colégio Bom Jesus foram  surpreendidos  quando o prêmio foi anunciado publicamente  e entregue a escola anteriormente citada.

Em razão dos fatos, o Colégio Bom Jesus requereu, via departamento jurídico da então mantenedora – CPEA –  a condenação da Ângulo Pesquisas ao pagamento por danos morais e materiais, que ficou estipulado na sentença proferida pela juíza, Carolina Gabrieli Spinardi Pinto, no valor de R$ 10.000,00 acrescido das custas e honorários advocatícios.

Conforme autos, a empresa Ângulo Pesquisas  em nenhum momento do processo apresentou defesa e  nem participou de audiência, sendo decretados efeitos da  ação à revelia. O RBJ tentou contato via telefone com a Ângulo Pesquisas, que anuncia sua sede como sendo Umuarama(PR). Ninguém atendeu a ligação.