Ocorreu de 19 a 23 de maio de 2014 em Salvador – Bahia, o Encontro Nacional de Colegiados Territoriais com o objetivo de organizar o trabalho integrado entre os territórios do Brasil. A organização foi da Rede de Colegiados Territoriais e apoiada pela Secretaria de Desenvolvimento Territorial do MDA (Ministério de Desenvolvimento Agrário).

Estavam representados os 239 territórios, que abrangem 3.568 municípios, onde vivem 10 milhões de agricultores e agricultoras, que representam mais de 3 milhões e 500 mil estabelecimentos rurais (IBGE, 2006). A área cultiva equivale a 1 milhão e 500 mil hectares, que estiveram discutindo questões para organizar os trabalhos e questões afins, de maneira integrada entre os territórios. A rede visa organizar os territórios por Estado, regiões e nacional.

O Encontro avaliou as potencialidades e fragilidades de cada região, bem como alocou os principais desafios a serem superados pelas regiões e pelas organizações no país.

Entre os territórios e pré-territórios, no Paraná são 14 já organizados. A representação do Paraná no Encontro foi de 21 integrantes e a região do Sudoeste foi representada por Nilton Luiz Fritz – atual assessor junto aos CMDRS, numa parceria entre Emater e Grupo Gestor do Sudoeste do PR que avalia que “o Encontro foi um momento importante para avaliação das potencialidades, troca de experiências e planejamento das próximas atividades dos territórios e das redes, que serão discutidos aqui, entre a coordenação e as organizações componentes do Território e desenvolvidos no Sudoeste do Paraná”.

No final do Encontro foi aprovada a “Carta de Salvador” em que consta um compromisso dos participantes na condução do desenvolvimento territorial, bem como faz referencia 2014, que foi instituído pela ONU como o Ano Internacional da Agricultura Familiar (AIAF). O documento do Encontro destaca que “buscando dar visibilidade à agricultura familiar e reconhecer o seu papel na redução da pobreza e promoção do desenvolvimento rural, fortalecer suas organizações representativas e conscientizar a sociedade sobre a importância deste segmento econômico e social”.