por Ivan Cezar Fochzato

 

 O Programa Dinâmica 1050, produzido pelo Departamento de Jornalismo da Rádio Club AM de Palmas, Paraná, entrevistou na manhã desta quinta-feira (26), o Chefe das Relações Institucionais da Vice Presidência da República, o ex-deputado federal pelo estado do Paraná, Rodrigo da Rocha Loures. Durante a entrevista abordou temas como a participação do PMDB nas eleições de outubro, as medidas que estão sendo adotadas pelo governo brasileiro para fortalecimento do setor industrial nacional e ainda sobre a aprovação do Código Florestal na Câmara dos Deputados, na última quarta-feira.

 

Como membro da Executiva Nacional, Rocha Loures, informou que o partido disputará a eleição ao executivo em 280 municípios do estado do Paraná, com candidatos à prefeito ou vice, respectivamente. “Time que não entra em campo não tem torcida”, justificou Rocha Loures,  na disposição do PMDB estar disputando prefeituras na grande maioria dos municípios paranaenses. Salientou que a orientação nacional é de que as coligações preferencialmente  sejam feitas com partidos que integram a base do governo federal. “Entretanto, será respeitada a particularidade de cada município”. “Não há restrição a qualquer partido ou possível coligação”, disse Rocha Loures.

Ao comentar sobre a aprovação do Código Florestal, o chefe das Relações Institucionais da Vice-presidência da República, destacou que foi um grande avanço para o setor agropecuário do Brasil e especialmente do Paraná. Conforme Rocha Loures, todas as atividades terão garantia de continuidade. Salientou que o Código aprovado leva em conta o equilíbrio entre as necessidades de produção e preservação ambiental. “Nenhum produtor pequeno, médio ou grande será prejudicado ou expulso do campo” disse Rocha Loures, informando que há um entendimento junto a presidência e vice-presidência em respeitar as decisões dos parlamentares e o Código, ao ser sancionado, deverá promover a paz no campo e tranquilidade para o setor.

Indagado à respeito das medidas que estão sendo adotadas para frear a desindustrialização no país, Rocha Loures, enalteceu as providências que vem sendo tomadas pela equipe econômica para fortalecimento do setor garantindo poder de competitividade no mercado externo através da calibragem do dólar e oferta de linhas de crédito. Rocha Loures citou o exemplo a indústria madeireira de Palmas que pode se fortalecer com as medidas que estão sendo adotadas.

 

Informou que está participando de diálogo entre com o SINDIPAL (Sindicato da Indústria da Madeira de Palmas) e fontes do governo para permitir a inserção do setor madeireiro nos benefícios previstos pelo Programa Brasil Maior, que hoje ainda não contempla o segmento com redução de impostos e com medidas de incentivos fiscais. “A presidenta Dilma e o vice Temer tem liderado um processo de diálogo com os setores produtivos”, comentou ele.