O Consórcio Intermunicipal da Rede de Urgências e Emergências( Ciruspar) emitiu nota de utilidade pública informando à população que a Central de Regulação do Samu está operando normalmente na região Sudoeste do Paraná, mesmo com a greve dos técnicos de enfermagem e socorristas.

Informa que desde que os sindicatos decidiram pela greve e, seguindo o estabelecido pelo TRT-PR, 50% do efetivo da equipe dos condutores socorristas e técnicos de enfermagem  estão deixando de atender, conforme a planilha de greve pelos sindicatos.

Ao todo, o Samu está com 50% de atividade das ambulâncias, mas  a Central de Regulação  está em pleno funcionamento. Orienta para que as pessoas que necessitarem de atendimento não deixem de ligar para 0 número de telefone 192 para serem orientados  por um médico sobre o que fazer em caso de emergência. “O médico é a maior autoridade sanitária e vai dar o melhor encaminhamento. Antes de colocar o paciente e/ou vítima no carro e sair correndo para qualquer porta hospitalar, acione o Samu 192 e tenha, a porta do SUS aberta para acolher você e a sua família”, destaca a nota orientativa.

Condutores socorristas e técnicos do SAMU na região Sudoeste entraram em greve no último dia 05. Os profissionais optaram pela paralisação após falta de entendimento com a direção do Ciruspar. A greve deve ser mantida por tempo indeterminado, Conforme os sindicatos das categorias,  condutores e técnicos que hoje recebem pouco mais de R$ 1.200,00 reivindicam  de no mínimo, R$ 1.400,00.

O presidente do Consórcio, prefeito de Ampére Hélio Alves, lamentou que a situação tenha chegado nesse ponto e que não há recursos disponíveis nos caixas dos municípios para bancar o reajuste reivindicado pela classe. Lembrou que o Ciruspar está com um déficit financeiro e se aumentar salários a situação só tende a pior, pois o Estado e a União também não têm como repassar valores acima dos atuais disponibilizados mensalmente.