No Dia Mundial Sem Tabaco, diversas ações são difundidas como forma de combater o vício. Há um certo tempo, o Brasil tem evoluído sobre esse ponto, com restrições para o cigarro em ambiente coletivo, exposição dos males do vício nas próprias carteiras e outras campanhas. Porém, o número de fumantes ainda é grande. No Paraná, são registradas 12 mortes, por dia, em decorrência de doenças relacionadas ao cigarro.

Diante desses números, outro fator que pode auxiliar no combate a esse vício é, além dos benefícios na saúde, também o alívio para o bolso, com redução dos gastos com cigarros e com os tratamentos de saúde.

Em Palmas, Sul do Paraná, por exemplo, os fumantes gastam aproximadamente R$ 325,8 mil todos os meses, de acordo com o Índice de Potencial de Consumo (IPC), levantado pela IPC Marketing. A pesquisa considera os gastos com cigarros, charutos, fumo para cachimbo, fumo para cigarros e outros artigos para fumantes, como fósforos e isqueiros.

Além disso, é necessário levar em conta o impacto econômico do tabagismo no sistema único de saúde (SUS). Segundo estudo realizado em 2011, o país gastou R$ 23 bilhões com o tratamento de algumas das mais de 50 doenças tabaco-relacionadas.