Faleceu na manhã de hoje (26) em União da Vitória, sul do Paraná, o advogado e empresário Moacir de Melo, aos 82 anos.

O velório ocorre no Velatório Santa Bárbara, em União da Vitória, desde o início da tarde. O sepultamento acontecerá nesta terça-feira (27), às 09h30, no Cemitério Municipal de União da Vitória.

Dr. Moacir, como era conhecido, deixa uma lacuna enorme em vários setores da sociedade regional. Além de exercer a advocacia, era um empreendedor, empresário, líder, cidadão homenageado por diversas entidades, pecuarista, dentre outras tantas funções exercidas.

Histórico

Moacir de Melo nasceu em 18 de janeiro de 1933, na cidade de Curitibanos (SC). Ele é primogênito dos cinco filhos de Virgílio de Almeida Mello e Nilda Kruger de Mello. Demonstrou, desde cedo, profundo interesse pelos estudos e causas humanitários e recebeu de sua família sólida base para sua formação pessoal.

Em 1956 casou-se com Nadir Auerswald Melo, com quem teve 3 filhos: Elaine, Rita de Cássia e Virgílio Cesar. Com a chegada da nora, genro e netos, a família cresceu.

Em 1960, aos 27 anos, Moacir de Melo graduou-se em Direito pela Universidade Federal do Paraná, e em 1967 em História pela Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de União da Vitória. Iniciou e exerceu a profissão de advogado de maneira contínua e ininterrupta desde 1960. Levou a Melo Advogados a ser reconhecida entre as 40 melhores advocacias do Brasil.

Dr. Moacir integrou o quadro da Associação dos Advogados de Porto União da Vitória desde a sua fundação. Foi presidente por duas vezes da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil – seccional de União da Vitória.

Em 1978 foi inaugurada a primeira sede própria da Melo Advogados em União da Vitória. O crescente volume de clientes de alto nível, formado apenas por empresas de todos os segmentos, encorajou Moacir, em 1987, a romper os limites geográficos e instalar mais um escritório em Curitiba, agilizando o atendimento aos clientes na capital do Estado.

Como cidadão, e sempre visando o melhor para a sociedade, Moacir de Melo assumiu inúmeras funções ao longo de sua vida. Foi fundador e primeiro diretor da FACE – Fundação Faculdade Municipal de Administração e Ciências Econômicas de União da Vitória.

Moacir de Melo foi também co-fundador e primeiro presidente do Hospital Regional de Caridade Nossa Senhora Aparecida, cargo que exercia até os últimos dias. Além disso, foi designado para as mais diversas funções por Prefeituras, Sindicatos, Secretarias e Ministérios.

Após mais de 5 décadas de profissão, o incansável advogado liderava uma equipe jovem e dinâmica, composta por advogados, administradores, economistas e colaboradores em geral, juntamente com seu filho, Dr. Virgílio Cesar de Melo e sua nora, Dra. Maria Salette Rodrigues de Melo.

Durante toda a sua vida Moacir foi inúmeras vezes homenageado, sendo agraciado com vários títulos, destacando-se os seguintes:

– Cidadão Honorário de União da Vitoria – conferido pela Câmara Municipal;

– Cidadão Benemérito de Palmas – conferido pela Prefeitura Municipal;

– Cidadão Honorário – conferido pela Federação das Misericórdias e Hospitais Filantrópicos do Estado do Paraná;

– Comendador: Comenda Pinhão do Vale – outubro de 2010;

– Homenagem de 50 anos de Advocacia – OAB – dezembro de 2011.

Seguindo as raízes e a tradição de seu pai Virgílio de Almeida Melo, herdou o gosto pela criação da raça de gado Caracu. Na Fazenda Santo Agostinho, no município de Palmas, sul do Paraná, desenvolveu dentro da raça uma seleção de animais inúmeras vezes premiada. Durante muitos anos foi presidente da Associação Brasileira de Criadores de Gado Caracu – ABCC e da Associação dos Pecuaristas de União da Vitória, exercendo em ambas as entidades todos os cargos de diretoria.

Em 2010, após seis anos de construção, foi inaugurada a nova sede da Melo Advogados com grande estilo e comemoração – coroando todo o esforço dispendido pelos seus dirigentes. Em 2014, adaptando-se à nova realidade do mercado, e com o objetivo de ampliar seu campo de atuação, a Melo Advogados passou a atender em Curitiba, no Edifício Comercial Infinity Prime Offices.

A CRIAÇÃO DA FACE

Em uma sala do Edifício Jacobs, no centro de União da Vitória, empresários, professores, advogados e juízes sonharam com uma cidade melhor. Sonharam com um polo universitário em uma das regiões mais importantes do estado, no início dos anos 1970. O Empresário José Nelson Dissenha, os Advogados Moacir de Melo, Hélio Bueno de Camargo, Odilon Muncinelli e o Juiz de Direito Dr. Ségio Ângelo Francisco Matiolli, reuniam-se após o expediente, para tratar da Universidade do Vale do Iguaçu. Estavam previstos 11 cursos: Direito, Medicina, Engenharia Civil, Odontologia, Veterinária, Agronomia, Política, Farmácia, Ciências Contábeis, Administração e Ciências Econômicas. No Memorial dos 30 anos, intitulado Dialogando com a Face, de autoria da professora Fahena Porto Horbatiuk, os detalhes e o passo a passo da criação da tão almejada Universidade são narrados com precisão.

Havia no período um envolvimento pessoal e um comprometimento social das empresas e organizações em prol da concepção de uma instituição de ensino superior, capaz de formar profissionais qualificados para alavancar o desenvolvimento regional. Com a transferência do Juiz Matiolli, a criação da universidade ganhou novo rumo e precisou do empenho do Dr. Moacir de Melo, para ter continuidade. A aquisição do imóvel onde hoje funciona o Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv) foi o primeiro passo para se dar início ao funcionamento dos cursos superiores.

Mas não foi tão simples. Por se tratar de uma Fundação Municipal, a prefeitura não dispunha de recursos financeiros para a compra e foi, então, que o Presidente da Associação Comercial da época, José Nelson Dissenha, tomou frente na iniciativa e visitou diversas empresas em busca de empréstimos e doações. A cada empresa visitada, doações e contribuições pessoais. Assim, em pouco tempo, os empresários viabilizaram a aquisição do imóvel necessário para a instalação da Faculdade Municipal de Administração e Ciências Econômicas, com as respectivas graduações.