O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informou que houve recuperação significativa na capacidade de armazenamento das bacias, incluindo a do Rio Iguaçu. Na média, o Subsistema Sul está com 59,8% de sua capacidade útil – exatamente 30 pontos percentuais acima do registrado em 1º de janeiro. Este é o melhor nível de armazenamento de 2020.

Por videoconferência, foram analisados tanto os impactos das chuvas observadas recentemente na região e da seca ainda presente em algumas áreas, assim como os impactos de ambos os fenômenos nos reservatórios e usos da água no Sul.

Na bacia do Iguaçu houve um aumento das vazões em 65,1%. De forma geral, tem sido possível manter as vazões afluentes (que chegam aos reservatórios) maiores do que as vazões defluentes (que saem deles), recuperando os estoques armazenados. De acordo com o ONS, neste momento não há reservatórios com geração hidrelétrica suspensa ou intermitente nas bacias do Iguaçu, realidade diferente da registrada nos últimos meses em virtude da seca no Sul.

Nesta sexta-feira(17), conforme o Sistema de Monitoramento Hidrológico da Copel o volume útil do reservatório da Usina do Segredo(Mangueirinha-Reserva do Iguaçu) é de 46,19%; Salto Santiago( Saudade do Iguaçu – Rio Bonito) 39,52%; Foz do Areia( Pinhão-Bituruna), 52,15%;  Salto Osório( São Jorge do Oeste),88,85% e Salto Caxias(Capitão Leônidas Marques e Nova Prata do Iguaçu) 50,58%. No Baixo Iguaçu( Capanema) volume variando entre 29% e 50%.

Na avaliação do grupo, de maneira geral, houve um alívio na situação de seca na região. Entretanto, a expectativa de pouca precipitação nas próximas semanas e os efeitos acumulados da seca nos últimos meses mantêm a necessidade de atenção à situação. A próxima reunião da Sala de Crise da Região Sul acontecerá em 6 de agosto. Fonte: (ASCOM/Aneel)