Rua Bolívia alagou com transbordo do Córrego Urutago. Foto: Evandro Artuzi
  • Compartilhe no Facebook

Rua Bolívia alagou com transbordo do Córrego Urutago. Foto: Evandro Artuzi

O excesso de chuva volta a castigar a região sudoeste do Paraná. Em Francisco Beltrão várias residências já foram alagadas no Bairro São Miguel. As moradias estão localizadas entre as Ruas Hermes da Fonseca e Tapajós e o alagamento aconteceu no início da manhã desta segunda-feira (29).

Conforme moradores, o problema foi ocasionado pelo rompimento de um açude que fica na parte alta do bairro, porém o secretário de  urbanismo da prefeitura José Carlos Vieira, que também integra a comissão municipal de Defesa Civil, não foi esse o motivo do alagamento.  Segundo ele, o córrego que corta o bairro não suportou a vazão e acabou transbordando .

Também já foram registrados alagamentos no Parque de Exposições Jaime Canett Junior e no cruzamento das Ruas Marília com a Bolívia, onde o trânsito foi bloqueado. Nesses locais, o problema foi provocado pelo transbordo  do córrego Urutago que passa pelo parque de exposições. Embora o bosque do parque esteja alagado, a água ainda não chegou na Avenida União da Vitória e na Rua Peru como aconteceu em outras ocasiões.

O Rio Lonqueador, nos Bairros Presidente Kennedy e Industrial também preocupa. Em alguns pontos está prestes a sair do leito normal e alagamentos podem ocorrer com facilidade. Um dos pontos bastante complicados fica nos fundos o Ginásio Arrudão, próximo a 19ª SDP, onde casas e estabelecimentos comerciais são atingidos com mais facilidade, como é o caso do Armazém Brazuca.

Já o Rio Marrecas, que corta a cidade, está 3,6 metros acima do nível normal. Esse índice ainda não representa perigo, mesmo assim a Defesa Civil alerta moradores ribeirinhos que fiquem atentos já que não há previsão da chuva cessar. Os institutos meteorológicos confirmam chuva até a próxima quarta-feira (01). As coordenadorias municipal e regional de Defesa Civil estão fazendo acompanhamento da situação e,s e necessário, as equipes estão prontas para atender a população.

Outras cidades

Nas demais cidades da região não houve, pelo menos por enquanto, nenhum registro alagamento, conforme a Defesa Civil. Apenas em Coronel Vivida uma árvore caiu na Praça Ângelo Mezzomo.

Em Chopinzinho um deslizamento  foi registrado na Rua Frei Everaldo, no colégio estadual José Armim Matte. A terra cedeu e parte de um muro caiu. A Defesa Civil isolou o local e recomendou a dispensa dos alunos.  Além disso, a estrutura de um barzinho no centro da cidade foi derrubada pelo vento.

Fotos: Evandro Artuzi/ Ricardo Oliveira/ Valdenir Lima e Marcos Ferreira.