Uma forte chuva de granizo atingiu Ampére, sudoeste do Paraná, na noite desta quinta-feira, 6, e causou estragos na cidade e também na zona rural do município. A situação foi registrada por volta das 20h10 e durou cerca de 10 minutos. Não existe ainda uma estimativa oficial, mas pelo menos 1 mil imóveis entre residências, empresas e locais públicos foram atingidos, de acordo com o Corpo de Bombeiros local. Cerca de quatro mil pessoas devem ter sido atingidas e os números serão confirmados pela Defesa Civil na nesta sexta-feira, 7.

Os bairros atingidos de forma parcial foram Centro, São Francisco, Santa Mônica, Santa Paulina, Colina Verde, Uassari, Santa Teresinha, Nossa Senhora das Graças, Água Verde 1, Água Verde 2, Menino Deus e Gilberto Simonetto (Industrial). No interior pelo menos oito comunidades também foram atingidas entre elas Linha São Paulo, Bom Principio, Scariot, Manfrin, São Salvador, Progresso, Santa Inês, Biazin e Alto Floresta. Também houve danos em veículos em vários pontos do município.

As pedras tinham tamanho de ovo de galinha e alguns casos chegaram a ter tamanho de limão e até laranja.

O prefeito Hélio Alves informou que o município decretou situação de emergência e já manteve contato com o Governo Estadual. As aulas da rede estadual e municipal foram suspensas nesta sexta-feira.

No Corpo de Bombeiros após o incidente foram distribuídas lonas para a população e poucas minutos o estoque acabou.  A Defesa Civil de Realeza, Santo Antônio do Sudoeste e Francisco Beltrão enviaram também bobinas de lonas e as lojas de materiais de construção venderam todo o estoque do produto em poucos minutos.

Entre os prédios públicos atingidos estão três centros de educação infantil, três escolas, Apae, duas igrejas no interior e pavilhões de comunidades rurais. Duas pessoas tiveram ferimentos leves após subirem na cobertura das casas. Cobertura de brasilites de 6mm e até de telhas de cimento foram danificadas.

Empresas do bairro industrial Gilberto Simonetto tiveram danos nas coberturas. Uma indústria de estofados teve todo o telhado danificado e dentro do estabelecimento as perdas de materiais foram grandes. Boa parte das indústrias liberaram os funcionários nesta sexta-feira e só retornarão as atividades na segunda-feira.

Pelo levantamento preliminar quase 60% do perímetro urbano foi atingido.

Agora pela manhã filas de pessoas em frente aos materiais de construção se formavam para comprar brasilites.

Informações/Fotos: Julio Cezar Alves/ Francielli Desengrini