Por Larissa Mazaloti

 

Fonte: Grupo de Pesquisa PEC – Planejamento Econômico e Crescimento da Unioeste

 

Em agosto, o preço dos gêneros alimentícios essenciais aumentou em 15 capitais das 17 onde o DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – realiza mensalmente a Pesquisa Nacional da Cesta Básica. As maiores altas foram verificadas em Florianópolis (10,92%), Curitiba (4,69%) e Rio de Janeiro (4,09%). As quedas de preço foram apuradas em Natal (-1,64%) e Belo Horizonte (-0,66%).

 

Em Francisco Beltrão, o custo da Cesta Básica (ração mínima essencial para uma pessoa em idade adulta), em julho, foi de R$ 239,58, representado um aumento de (1,97%) em relação ao mês anterior. Dos treze produtos que compõem a Cesta Básica do beltronense, acompanhados pelo Grupo de Pesquisa PEC – Planejamento Econômico e Crescimento -, apenas um apresentou variação negativa de preço, o tomate, que teve uma redução (4,11%). Entre os produtos que registraram variação positiva de preços, destacam-se a batata (75,80%), a margarina (10,30%), o açúcar (6,72%), a farinha de trigo (5,36%) e o óleo de soja (4,51%).

 

Comparado a elevação de preços com as capitais analisadas pelo DIEESE, nota-se que, em Francisco Beltrão o preço da batata acompanhou a alta, que foi verificada em todas as capitais que o produto é pesquisado, com exceção de Porto Alegre, que teve redução de (-1,33). Situação semelhante, de aumento de preços, também foi observada para a farinha de trigo e o arroz. A Cesta básica no acumulado até o mês de agosto apresenta um aumento de 17,41%, com destaque para o tomate que tem alta acumulada de 125,09%; a batata, 95,98%; o feijão, 49,17% e o pão, 16,47%.

 

Os itens de limpeza e higiene tiveram seu valor médio em R$ 38,74 e R$ 26,09 respectivamente, representando uma alta de (0,17%) para os itens de limpeza e uma redução de (-16,16%) para os itens de higiene, em relação aos valores praticados no mês de julho. Dentre os produtos de limpeza, destaque para o aumento de preço no amaciante de roupas e no sabão em barra, (4,56% e 1,38%, respectivamente). Para os itens de higiene as principais alterações de preço ocorreram com o papel higiênico e creme dental, com redução de 14,95% e 3,86% respectivamente.

 

Com base no valor médio apurado para a Cesta e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deveria suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o PEC estima mensalmente o salário mínimo necessário. Para agosto de 2012, o valor calculado corresponde a R$ 2.012,73 ou 3,23 vezes o mínimo em vigor, R$ 622,00. Em julho, o mínimo necessário era de 1.973,82, que equivalia a 3,17 vezes o mínimo. Em agosto de 2011, quando o menor salário pago no país era R$ 540,00, o mínimo necessário foi estimado em R$ 1.691,78, o que correspondia a 3,13 vezes o mínimo.

 

Esse resultado indica que a capacidade de consumo do trabalhador assalariado encontra-se menor que a do mesmo período do ano anterior. Para adquirir o conjunto de bens essenciais, o trabalhador beltronense remunerado pelo salário mínimo necessitou cumprir, em agosto de 2012, uma jornada de 85horas e 14 minutos.